17-SETEMBRO-2016
EUROVOLLEY: ESLOVÁQUIA
REENTRA NA LUTA


A Eslováquia somou hoje três preciosos pontos frente a Portugal (3-1) e mantém-se na perseguição à Croácia, líder invicta da Poule D da 2.ª Ronda de Qualificação para o Campeonato da Europa 2017.

Apoiando-se em blocos duplos e num serviço eficaz, a Eslováquia dominou o primeiro set sobretudo após o segundo tempo técnico (16-10). A reacção das portuguesas pecou por tardia (19-23) e não conseguiu impedir o triunfo da equipa de Leste por 25-19.
No segundo set, Portugal equilibrou o jogo e, apesar de algumas falhas defensivas e ofensivas, conseguiu passar para a frente do marcador (13-12) com um bloco de Aline Timm.
Contudo, o maior poder ofensivo das eslovacas prevaleceu e a equipa de Marek Rojko selou a vitória com dois ataques da capitã Jaroslava Pencova: 25-17.
Boa entrada das portuguesas no terceiro set, com blocos de Vanessa Rodrigues e Marta Hurst (14-9). Na recta final, os ataques de Julia Kavalenka fizeram a diferença: 25-23.
Os ataques indefensáveis de Nikola Radosova e da capitã Pencova abriram brechas no bloco português e causaram grandes mossas à defesa lusa (17-12). Portugal lutava contra a maré, com um serviço directo de Eduarda (17-19), mas a Eslováquia aguentou o embate e venceu por 25-21.

Jaroslava Pencova foi a melhor pontuadora, 16 pontos, logo seguida de Júlia Kavalenka, com 14.

Marek Rojko, Treinador da Eslováquia:
“Encarámos o jogo com Portugal com o maior respeito, depois de vencerem a selecção de Israel e também queríamos jogar hoje melhor do que ontem. Estes dois factores permitiram-nos a concentração num objectivo, que era vencer pela margem máxima; não conseguimos, mas conseguimos os três pontos, que era o mais importante. Continuamos a depender de nós relativamente ao apuramento para o Europeu”.

António Guerra, Treinador de Portugal:
Sabíamos que tínhamos de ser muito sólidos e coesos e nem sempre isso foi conseguido. A Eslováquia teve momentos em que jogou muito bem, mas acabou por tremer um pouco no final com a nossa reacção. Contra a Croácia temos de jogar com alegria e desfrutar do momento, pois vamos defrontar uma equipa muito boa”.

Marta Hurst, Zona 4 de Portugal:
Fizemos um bom jogo, mas faltou-nos mais consistência e isso é fatal frente a uma equipa como a eslovaca. Amanhã, vai ser ainda mais difícil pois a Croácia é uma equipa muito forte e experiente, com jogadoras muito boas. Temos de recuperar para estarmos no nosso melhor pois disputámos dois jogos muito cansativos”.

Ver ficha de jogo aqui e mais fotos e resultados aqui

Croácia passeia a sua classe

A Croácia continua a passear a sua classe na Poule D de apuramento para o EuroVolley 2017. Hoje, a vítima foi a formação israelita, uma equipa esforçada mas ainda jovem e algo inexperiente para conseguir fazer frente a jogadoras do nível das croatas… titulares, já que o «banco» sentiu enormes dificuldades no segundo set…
Israel ainda tentou lutar, com armas desiguais, no primeiro set. Procurou criar problemas à recepção croata para assim poder fazer face ao forte poder ofensivo do ataque da equipa de Miroslav Aksentijevic, mas a equipa do Leste europeu apenas vacilou (4-0 para 4-3) mas não caiu, tendo somado pontos atrás de pontos no serviço e ataque rumo ao triunfo por 25-9.
No segundo set, Aksentijevic mexeu na equipa e esta baixou de nível, tendo estado a perder por 4-11. O regresso ao campo das jogadoras mais experientes, já na recta final, permitiu a recuperação e o volte-face: 25-21.
No terceiro set, Israel jogou todas as suas cartas e a sua eficácia foi recompensada com a liderança no marcador (15-13, 25-24). Contudo, a máquina croata voltou a funcionar, com destaque para Fabris e Dumancic, e o triunfo foi selado com um apertado 27-25.

Autora de 14 pontos, Samanta Fabris foi a melhor pontuadora, enquanto Sofia Starikov, com 10 pontos, foi a israelita mais concretizadora.

Mira Topic reconheceu que a Croácia não esteve ao seu nível:
“Foi um jogo difícil, porque estivemos mal na recepção e esse é um dos aspectos que temos de rectificar nos próximos jogos. Israel tem uma boa equipa e um bom treinador, mas esperamos ganhar este e o próximo torneio porque o nosso objectivo é a presença na final do Europeu”.

Arie Selinger, o histórico treinador de Israel, salientou: “Com mais sorte, podíamos ter ganho o segundo ou terceiro set, mas não fomos felizes. Esta não é a equipa israelita mais forte; tem muitas jogadoras jovens, uma delas foi mãe há pouco tempo, a nossa libero está magoada… era difícil fazer melhor nestas condições”.

 Ver ficha de jogo aqui

Mais informações: www.cev.lu / www.fpvoleibol.pt/CESENFEM2017

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS