16-JUNHO-2020
SUPERVISÃO DE ARBITRAGEM AO DETALHE

Um número próximo da meia centena de árbitros portugueses assistiu a mais uma videoconferência sobre arbitragem, que desta vez teve como convidada especial alguém do outro lado do Atlântico, a brasileira Maria Amélia Villas-Boas. Foi o quinto evento da série «Um apito com…», que teve na sérvia Zorica Bjelic, membro da Comissão de Arbitragem da Confederação Europeia de Voleibol, a sua estreia, seguida da também do árbitro nomeado
para os Jogos Olímpicos de Tóquio, a espanhola Susana Rodriguez, o português José Casanova, Secretário da Comissão de Arbitragem e Leis de Jogo Federação Internacional de Voleibol e finalmente o árbitro brasileiro Paulo Turci, indicado para Tóquio.

Com uma carreira de 25 anos de árbitra internacional de praia, Maria Amélia, membro do Conselho de Arbitragem e Leis de Jogo da FIVB desde 2013, esteve presente em quatro Jogos Olímpicos, três deles como árbitra (Atlanta, Pequim e Londres, com duas finais olímpicas: Pequim e Londres) e uma como coordenadora dos árbitros (Rio de Janeiro), estando indicada para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Após uma sessão onde foi exaustivamente explicada «A supervisão numa prova do Circuito Mundial», Avelino Azevedo, Presidente do Conselho de Arbitragem da FPV, mostrou-se satisfeito com o resultado final.
"Maria Amélia Villas-Boas é uma conhecida do Voleibol de Praia mundial e também do português, pelo que pode, de uma forma detalhada, explicar muitas das facetas que passam despercebidas aos árbitros numa prova de Voleibol de Praia. A isso adicionou a nova realidade das recentes alterações regulamentares, principalmente relacionadas com os tempos médicos, tendo sido assim uma sessão de actualização perfeita, para além de ter esclarecido um conjunto de questões colocadas pelos participantes relacionadas com o processo de nomeações e avaliação dentro de uma prova desta magnitude", explicou aquele responsável federativo da arbitragem, em mais numa ação de formação realizada em articulação com o Departamento de
Formação, numa excelente iniciativa de aproveitamento racional formativo de excelência neste tempo de ausência forçada de competição nos recintos desportivos.

A segunda parte desta sessão foi novamente aproveitada para o visionamento e discussão de alguns casos de jogo do Voleibol de Praia, através do visionamento de alguns vídeos e com a colaboração de duas árbitras internacionais portugueses de praia: Maria Michelle Ferreira e Sandra Deveza, que apresentaram, cada uma, dois casos de jogo, geradores de uma dinâmica troca de opiniões sobre os princípios que devem presidir à interpretação deste tipo de situações.

O próximo evento está agendado para o dia 22 de Junho, com a presença de mais um convidado de Voleibol de Praia e também nomeado para os Jogos Olímpicos de Tóquio: o espanhol José Maria Padron Hernandez, um nome referencial na arbitragem internacional.

Este conjunto de iniciativas visa melhorar todos os pressupostos para uma arbitragem nacional a um patamar mais elevado nas próximas temporadas, contribuindo assim, de uma maneira construtiva e pedagógica, para a melhoria e o desenvolvimento do Voleibol e do Voleibol de Praia em Portugal.

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS