05-MAIO-2020
«UM APITO COM...» SUCESSO
NA FORMAÇÃO DE ÁRBITROS

Mais de 60 árbitros de nível internacional e nacional assistiram ontem à primeira videoconferência sobre arbitragem denominada «Um Apito com…», que teve como convidada a sérvia Zorica Bjelic.
Esta dirigente é, desde 2012, membro da Comissão de Arbitragem da Confederação Europeia de Voleibol (CEV), está indicada como vídeo-arbitro para os Jogos Olímpicos de Tóquio e na sua longa carreira internacional de arbitragem internacional – iniciada em 1998 – destacam-se três fases finais de Campeonatos do Mundo e Taça do Mundo (organizados pela FIVB), cinco fases finais do Campeonato da Europa e cinco jogos finais da Liga dos Campeões (CEV), tendo terminado a sua carreira com a final feminina dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 entre o Brasil e os Estados Unidos.

Desta forma, os condimentos para uma sessão de abertura de sucesso estavam reunidos e as expectativas não seriam defraudadas. O tema «Arbitragem de excelência: carreira e características» permitiu não só aos árbitros portugueses entenderem as várias etapas e requisitos para se chegar ao topo da carreira internacional, como perceber as principais características que suportam um árbitro de sucesso dentro e fora do campo. Para além disso, e após uma apresentação inicial de Zorica Bjelic, os árbitros puderam colocar diversas questões que tornaram esta iniciativa do Conselho de Arbitragem, em articulação com o Departamento de Formação da FPV, um acção de formação que foi ao encontro das suas expectativas, aproveitando este tempo de ausência de competição nos pavilhões e a necessidade de #FiqueEmCasa num contexto formativo.

A próxima sessão está agendada para o dia 18 de Maio, com a presença de mais um árbitro internacional nomeado para os Jogos Olímpicos de Tóquio (a espanhola Susana Rodriguez), num conjunto de iniciativas que visa criar todos os pressupostos para uma próxima temporada com a arbitragem nacional a um patamar mais elevado, contribuindo assim, de acordo com os organizadores da iniciativa, “de uma maneira construtiva e pedagógica, para o desenvolvimento do Voleibol e do Voleibol de Praia em Portugal”.

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS