30-ABRIL-2020
VANESSA PAQUETE: "O PAVILHÃO DE CORTEGAÇA
FOI O MELHOR QUE ACONTECEU AO VOLEIBOL DE PRAIA
"

Vanessa Paquete é uma das apostas seguras da Federação Portuguesa de Voleibol (FPV) para o Voleibol de Praia.
Formando dupla com Beatriz Pinheiro, com a qual se sagrou vice-campeã nacional de seniores em 2019, a atleta que agora se dedica em exclusivo à variante outdoor do Voleibol mostra-se esperançada em ajudar Portugal a vencer aquele que porventura será o seu maior desafio de sempre.
Salientando que “o pavilhão em Cortegaça foi a melhor coisa que aconteceu ao Voleibol de Praia em Portugal”, Vanessa defende as medidas tomadas no combate à pandemia de Covid-19, embora confesse algum desapontamento por não poder, como tudo indica, competir em provas internacionais esta época.

De que forma estás a sentir, como cidadã e atleta, os efeitos da pandemia de Covid-19?
"Este novo tempo que estamos a viver deixa-me um pouco ansiosa. Tudo isto é uma grande mudança, com muitas incertezas à mistura.
Eu e a Beatriz [Pinheiro] mantivemos sempre contacto.O nosso treinador [Ricardo Rocha, seleccionador nacional*] vai-nos dizendo o tipo de treino que devemos fazer em casa e também tentamos saber se está tudo bem com cada um de nós
."

Com o levantamento do estado de emergência, acreditas que estão criadas as condições para Portugal dar os primeiros passos rumo à normalidade?
"Na minha opinião, o nosso País tem tomado as decisões correctas para combater/diminuir a velocidade de propagação do vírus. Com o cancelamento de grandes eventos que juntam sempre multidões , com o encerramento de bares, discotecas e restaurantes, tudo isso foi crucial para que hoje os nossos números não se comparem aos de outros países vizinhos. Mas agora que o estado de emergência vai acabar, penso que para continuarmos estáveis não vai depender só do País, mas também de todos os portugueses continuarem a tomar as medidas de segurança e a fazerem isolamento sempre que possível. O limite de pessoas em cada espaço também será crucial."

Enquanto atleta de Voleibol de Praia, como vês a possibilidade de retomares, a curto prazo, os treinos e, mais a médio prazo, a competição?
"Em relação aos treinos, nós vamos retomar já no dia 4 de Maio em Cortegaça; em relação à competição tenho um pouco de receio que a minha época seja só competir em Portugal [Campeonato Nacional] . Acho que será muito difícil haver competições fora do País. Tudo isto é muito incerto para nós, irá depender do vírus e da sua evolução em cada país e das medidas que forem sendo tomadas."

A FPV e a Junta de Freguesia de Cortegaça assinaram, em Fevereiro, um Protocolo de Cooperação que contempla a criação de um Centro de Voleibol de Praia [ver notícia aqui].
Como caracterizas o impacto deste investimento no vosso trabalho e para o Voleibol de Praia português?
"O pavilhão em Cortegaça foi a melhor coisa que aconteceu ao Voleibol de Praia em Portugal. Tem óptimas condições de trabalho, oferece conforto e estabilidade aos atletas, dá a possibilidade de realizar estágios e torneios com atletas de outros países no Inverno, que é a altura com menos competição, e também atrai e cativa os mais novos a experimentar o Voleibol de Praia.
É fundamental para o futuro, pois abrem-se muitas portas com este Centro de Voleibol de Praia
."

 

Que mensagem gostarias de deixar aos atletas/pessoas nesta nova etapa do combate à pandemia?
"Gostaria de deixar uma mensagem de esperança. Acredito que, neste momento, muitos atletas neste momento se sintam um pouco ansiosos e confusos com o que pode acontecer no futuro, pois é normal todos nós pensarmos nisso, mas não devemos massacrar-nos com esses pensamentos negativos que não nos trazem benefício nenhum. É uma fase e brevemente estaremos todos a fazer o que mais gostamos de fazer.
A eles e a todas as pessoas, gostaria de salientar que isto vai acabar e todos nós vamos agradecer por estarmos bem e os nossos familiares e amigos também
."

*Nota: Os treinadores nacionais Ricardo Rocha (femininos) e Leonel Gomes (masculinos) têm duas duplas principais a trabalhar no Voleibol de Praia durante o ano inteiro: Vanessa Paquete/Beatriz Pinheiro (vice-campeãs nacionais de femininos) e Hugo Campos/João Pedrosa (vencedores do Torneio Sub-21 da WEVZA e 4.ºs classificados em Berlim).

Para além de terem disputado, na Grécia, os jogos de qualificação para a 2.ª Fase da Taça Continental de Voleibol de Praia, competição de acesso aos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, Vanessa Paquete e Beatriz Pinheiro estiveram presentes em duas etapas de quatro estrelas do Circuito Mundial de Voleibol de Praia (2019 FIVB Beach Volleyball World Tour), na República Checa e na Polónia.

Vanessa Paquete (com Gabriela Coelho) foi campeã nacional de seniores 2018 e medalha de ouro no Torneio da WEVZA em 2018 e, com Daniela Silva, vice-campeã do Torneio de Sub-21 da WEVZA, na Albufeira do Azibo, em 2014; Beatriz Pinheiro (com Inês Castro) classificou-se no 17.º lugar no Campeonato da Europa de Sub-20, em 2018, e em 17.º no Europeu de Sub-20, em 2017. Nesse ano, Inês Castro e Beatriz Pinheiro alcançaram o 4.º lugar no Torneio de Sub-21 da WEVZA de Voleibol de Praia e a medalha de prata nos torneios de Voleibol de Praia dos IX Jogos CPLP, em 2014. 

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS