01-ABRIL-2020
VANESSA RODRIGUES
DISTRIBUIDORA DE ESPERANÇA


Fotos: Vanessa Rodrigues

Vanessa Rodrigues é uma atleta sobejamente conhecida no mundo do Voleibol e no desporto português.

Capitã da Selecção Nacional de Seniores Femininos que disputou a European Silver League em 2019 e actual capitã do AVC Famalicão, a experiente distribuidora deu agora prioridade à sua faceta de profissional de saúde, que hoje em dia é sinónimo de "uma das pessoas mais em foco e mais sacrificadas" na frente de combate ao novo coronavírus.

Como é possível conciliar o dia-a-dia de médica, numa altura tão exigente para estes profissionais de saúde, com o de atleta de alta competição?
"Neste momento, é mesmo impossível a conciliação. Estou a 200 por cento como profissional de saúde, 200 por cento na protecção da Saúde Pública".

Enquanto profissional da Administração Regional de Saúde do Norte, IP, como vês as medidas tomadas por Portugal para combater a pandemia? E em comparação com outros países, como Espanha, França ou Itália?
"O Governo, apoiado tecnicamente pela Direcção Geral de Saúde, tem tomado as medidas possíveis, pertinentes, assertivas e necessárias para conseguirmos dar resposta às necessidades extrordinárias causadas pela pandemia de COVID-19.
Acompanhamos as orientações internacionais e procuramos, desta forma, seguir os “bons exemplos” e evitar o caminho para situações críticas como Itália e/ou Espanha.
Mas, mais do que medidas aplicadas pelo Governo, Direcção Geral de Saúde e Forças de Segurança, temos que ser nós próprios a manter o bom caminho,
seguindo inequivocamente todas as indicações/recomendações dadas por estas instituições"
.

"Manter o foco e
não virar a cara a esta luta"

O facto de seres atleta de alta competição de Voleibol permite-te, de algum modo, encarar de forma diferente a situação de emergência nacional que se vive no nosso País?
"Acredito que o meu background como atleta de alta competição me permite ser mais resiliente, orientar uma equipa multidisciplinar, manter o foco e não virar a cara a esta luta, dia após dia, continuamente".

De forma particular aos atletas e em geral às pessoas, que conselhos darias para enfrentarem esta crise?
"Antes de mais, é de salientar que ninguém deve entrar em pânico e histeria. Devem sim, ser conscientes, informados e racionais. Seguir as dicas e orientações da DGS, primeiramente no sentido de conter a transmissão do vírus, com o isolamento/distanciamento social, etiqueta respiratória e a lavagem das mãos. Posteriormente, no sentido de ocuparem da melhor forma o seu dia durante
o isolamento profilático, seguindo as orientações referentes à actividade física em casa e confecção de refeições saudáveis. É importante que se
mantenham saudáveis e não diminuam a resistência do sistema imunitário. Para
isso, é preciso que se mantenham activos fisicamente e mentalmente, comam de forma adequada e desfrutem à janela do ar puro e dos raios de sol.
Depois da tempestade, vem a bonança. Eu não posso, mas quem puder, fique em casa
".

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS