13-JUNHO-2019
Volleyball Nations League

VNL: QUATRO ESCOLAS DE VOLEIBOL
GARANTEM UM GRANDE ESPECTÁCULO!

A Pool 9 da Liga das Nações de Voleibol 2019 (Volleyball Nations League - VNL), a realizar de 14 a 16 de Junho em Gondomar, começou da melhor forma, com todos os participantes a mostrarem o seu agrado com as excelentes condições para a realização da competição, quer do Pavilhão Multiusos quer do alojamento e acolhimento local, e com o facto de estarem representadas quatro escolas de Voleibol diferentes, o que possibilitará uma competição competitiva e exigente, obrigando as selecções a prepararem-se jogo a jogo, adversário a adversário.

Sandra Almeida, Vereadora do Desporto e Juventude da Câmara Municipal de Gondomar, foi a porta-voz da cidade anfitriã:
Em nome da Câmara Municipal, gostaria de dar as boas-vindas a Gondomar aos atletas, treinadores e a todos aqueles que vão participar nesta competição, bem como aos que nos vão visitar durante três dias.
Vão gostar de estar cá porque, como costumamos dizer, Gondomar é d’Ouro; pelo Rio Douro, pela filigrana e porque os gondomarenses têm um coração de ouro.
Aproveitamos igualmente para agradecer publicamente à Federação Portuguesa de Voleibol por nos ter escolhido para acolher mais esta grande competição
”.

Vicente Araújo, Vice-Presidente da Federação Portuguesa de Voleibol:
Desejo-lhes boas-vindas e que tudo corra pelo melhor, pois estamos muito contentes por organizarmos uma competição com um nível competitivo tão alto em Gondomar, pelo que aproveitamos para agradecer à autarquia e à cidade toda a colaboração que nos tem prestado neste e noutros eventos.
Desejo o maior sucesso a todas as equipas, pois o seu sucesso é o sucesso da competição.
Boa sorte para todos
”.

E o que pensam os principais intervenientes de uma competição deste calibre?

Treinador de Portugal, Hugo Silva:
Finalmente vamos jogar em casa e contamos com o apoio e a energia do nosso público e de uma cidade como Gondomar, onde se respira desporto do mais alto nível, para nos transcendermos e somarmos pontos rumo à permanência na VNL.
Como «challenger», Portugal é a equipa aqui presente que «mais» precisa de somar pontos, para se poder manter na Liga das Nações. O nosso objectivo é disputamos a próxima edição da Liga das Nações, pois creio que se disputássemos esta competição por mais três ou quatro anos cresceríamos muito como equipa.
Creio que as pessoas sem serem do Voleibol, órgãos de Comunicação Social incluídos, ainda não se aperceberam que esta competição tem a dimensão de um Mundial ou dos Jogos Olímpicos
”.

Capitão de Portugal, Alexandre Ferreira:
“Tantas viagens e fusos horários diferentes é algo novo para nós e ainda estamos a adaptar-nos a uma competição tão exigente para os jogadores, mas sentimo-nos muito orgulhosos por estarmos por mérito próprio na Liga das Nações, que reúne as melhores selecções do mundo.
Sinceramente, o que esperamos é dar bons espectáculos de Voleibol em «nossa casa» e conseguirmos somar o maior número possível de pontos, pois acreditamos que temos capacidade para conquistar duas vitórias, já que o Brasil, para além de ser o campeão olímpico, é a única equipa que só tem vitórias na VNL 2019
”.

Treinador do Brasil, Renan Dal Zotto:
É um prazer estarmos em Portugal. Estão reunidas todas as condições para a realização de um grande evento, desde as instalações desportivas muito boas à forma como fomos recebidos em Gondomar.
Estão aqui quatro selecções de diferentes escolas do Voleibol mundial. A Sérvia, do Leste da Europa, com força e velocidade; a China, representante da escola asiática, com excelente defesa; Portugal, que mistura a escola asiática e a europeia, sendo a equipa mais parecida com o Brasil, selecção que tem marcado a forma de jogar da escola sul-americana.
Desportivamente falando, não podíamos pedir mais do que isto
!”.

Capitão do Brasil, Bruno Rezende:
Voltar a Portugal é sempre especial. Com estas quatro escolas de Voleibol, todos os dias as selecções terão de se preparar para um adversário que tem um ritmo e uma forma de jogar diferentes dos outros e isso é exigente mas igualmente muito bom no processo de crescimento das equipas”.

Treinador da China, o argentino Raul Lozano:
É um prazer regressar a Portugal, onde somos sempre bem acolhidos. Vai ser uma competição muito dura, não só pelos estilos de jogo diferentes mas sobretudo porque as equipas vieram todas de viagens longas e cansativas, depois de jogarem em países com fusos horários muito diferentes, e terão de recuperar forças e mostrar as suas capacidades”.

Capitão da China, Ji Daoshuai:
“É a primeira vez que venho a Portugal, mas Gondomar é uma cidade linda. Temos uma equipa jovem, mas esperamos conseguir jogar bem, ao nosso melhor nível, e estou convencido de que o vamos fazer”.

Treinador da Sérvia, Nikola Grbic:
Viemos do Canadá, tivemos apenas um par de dias para nos adaptarmos, mas as equipas estão todas nas mesmas condições, pelo que queremos é continuar a jogar sempre melhor, como temos conseguido até agora”.

Capitão da Sérvia, Nikola Jovovic:
É a primeira vez que estou em Portugal, mas sei que o público daqui aprecia ver bons espectáculos de Voleibol e é para isso que aqui estamos, para jogar bem.
Já defrontei jogadores das selecções aqui presentes, alguns dos jogadores portugueses jogam na Europa e já nos cruzámos algumas vezes. São perigosos, pois aliam bem a técnica à estratégia
”.

O nosso País acolhe, nos dias 14 a 16 de Junho, no Multiusos de Gondomar, a Pool 9, na qual Portugal defronta as selecções do Brasil, Sérvia e China, respectivamente 1.º, 10.º e 20.º posicionados no Ranking Mundial (1 de Outubro de 2018).

Os jogos, que serão transmitidos em directo pela Sport TV, estão agendados:
14 de Junho
18h00
– Brasil x Sérvia
21h00
– Portugal x China

15 de Junho

16h00
– Brasil x China
19h00
– Portugal x Sérvia

16 de Junho
15h00
– China x Sérvia
18h00
– Portugal x Brasil

Ver resultados completos da VNL 2019 aqui

A Selecção viajará depois para o Irão (Pool 15 / 21 a 23 de Junho), onde enfrentará iranianos, franceses e australianos.

Esta fase preliminar terminará na Alemanha (Pool 20 / 28 a 30 de Junho), e Portugal defrontará o Japão, a Polónia e a Alemanha.

Acreditação dos jornalistas aqui / Bilhetes aqui

 Mais informações em www.fpvoleibol.pt/vnl2019/

A preparação dos portugueses incluiu jogos particulares na América do Sul, com o Chile e a Argentina, antes da VNL, e com a Eslováquia (em Portugal, nos dias 23, 24 e 25 de Agosto) e na República Checa (5, 6 e 7 de Setembro), tendo em vista o Campeonato da Europa de 2019.
Ver Plano (provisório) aqui

Atletas convocados (14 jogadores)

ZONAS 4
Alexandre Ferreira (Aluron Warta Zawiercie/POL)
João Simões (Sporting CP)
Lourenço Martins (SC Espinho)
Caíque Silva (AJF Bastardo)

DISTRIBUIDORES
Miguel Rodrigues (Rennes Volley/FRA)
Tiago Violas (SL Benfica)

CENTRAIS
Filip Cveticanin (SL Benfica)
Phelipe Martins (SC Espinho)
Nuno Teixeira (VC Viana)

OPOSTOS
Marco Ferreira (SC Espinho)
Bruno Cunha (VC Viana)
Valdir Sequeira (Videx Grottazzolina/ITA)

LIBEROS
João Fidalgo (Sporting CP)
Gil Meireles (Esmoriz GC)

A turma das quinas participa na prestigiada VNL após ter conseguido vencer na Final da Volleyball Challenger Cup 2018 a República Checa por 3-1 (18-25, 25-22, 25-19 e 25-16).
A Liga das Nações é disputada por 16 selecções nacionais: 12 «fixas» que estão sempre qualificadas para a competição e quatro «desafiadoras» (em 2019, Portugal, Canadá, Bulgária e Austrália), sendo que a última classificada destas selecções desce à Golden League, sendo substituída pela vencedora da Challenger Cup, um torneio que qualifica o vencedor para a próxima edição da Liga das Nações como equipa «desafiadora».

A VNL é composta por duas fases.
A Fase Preliminar desenrola-se ao longo de cinco semanas. Cada semana, as selecções participantes são organizadas em pools de quatro equipas, disputadas em sistema de «round-robin» (todos contra todos) em países diferentes.
Qualificam-se para a Final Six as cinco primeiras da classificação geral, que se juntam à selecção do país organizador desta etapa decisiva.
As seis selecções participantes formam duas pools de três equipas, que se defrontam no sistema de «round-robin».
Os 1.º e 2.º classificados de cada pool apuram-se para as meias-finais e jogam em sistema cruzado (o 1.º classificado de uma pool defronta o 2.º classificado da outra pool).
Os vencedores encontram-se na Final para competir pelo título da VNL.

A Final 6 da Liga das Nações de Voleibol 2019 - masculinos será disputada, de 10 a 14 de
Julho, na cidade norte-americana de Chicago.

A Rússia venceu a primeira edição da Liga das Nações ao derrotar, na final disputada na cidade gaulesa de Lille, a França pela margem máxima: 3-0 (25-22, 25-20 e 25-23).

Informações adicionais: www.cev.lu / www.fivb.com

Portugal em Montpellier
na Final do EuroVolley

A Selecção Nacional vai disputar o Campeonato da Europa de Seniores Masculinos 2019, organizado simultaneamente por quatro países: França, Eslovénia, Bélgica e Holanda.
Portugal está inserido na Pool A, sediada na cidade gaulesa de Montpellier, juntamente com a Itália, número 3 do ranking mundial e 5.ª classificada nas últimas edições do Mundial e do Europeu, a França, vice-campeã da Liga das Nações de Voleibol (VNL) e a Bulgária, uma das mais fortes representantes da escola de Leste.
Completam o grupo de seis equipas as selecções da Grécia e da Roménia.

Horários dos jogos* (Horas locais - Sud France Arena, em Montpellier)

12.Set Quinta-feira
14h15 - BUL vs GRE
17h15 - POR vs ITA
20h45 - FRA vs ROU

13.Set Sexta-feira
17h15 - BUL vs ROU
20h45 - ITA vs GRE

14.Set Sábado
17h15 - GRE vs FRA
20h45 - BUL vs POR

15.Set Domingo
14h00 - ROU vs ITA
17h30 - POR vs FRA

16.Set Segunda-feira
17h15 - ROU vs GRE
20h45 - FRA vs BUL

17.Set Terça-feira
14h00 - GRE vs POR
19h30 - ITA vs BUL

18.Set Quarta-feira
14h00 - POR vs ROU
20h45 - FRA vs ITA
*horas previstas 

O Campeonato da Europa realiza-se de 12 a 29 de Setembro do ano corrente. Ver calendário

A Selecção Nacional de Seniores Masculinos apurou-se como 1.ª classificada da Pool D da Fase de Qualificação.

Os quatro primeiros classificados de cada pool qualificam-se para os oitavos-de-final, sendo que os apurados da Pool A irão defrontar os apurados da Pool C (A1 x C4, A2 x C3, A3 x C2 e A4 x C1), o mesmo se passando com os da B em relação aos da D.

Os jogos dos quartos-de-final serão distribuídos pelos quatro países organizadores, enquanto as meias-finais se disputam na Eslovénia (Ljubljana) e França (Paris) e o jogo de atribuição do 3.º e do 4.º classificados e a final serão realizadas na capital gaulesa.

As selecções estão divididas por 4 grupos de 6 equipas, sediados em França (Pool A), Bélgica (Pool B), Eslovénia (Pool C) e Holanda (Pool D).

Pool A – França (Montpellier, org.), Itália, Bulgária, Portugal, Grécia e Roménia.
Pool B – Bélgica (org.), Sérvia, Alemanha, Eslováquia, Espanha e Áustria
Pool C – Eslovénia (org.), Rússia, Finlândia, Turquia, Macedónia e Bielorrússia
Pool D – Holanda (org.), Polónia, República Checa, Estónia, Ucrânia e Montenegro

Pela primeira vez na história da competição, o EuroVolley contará com 24 selecções participantes, incluindo as que representam os quatro países anfitriões – França, Eslovénia, Bélgica e Holanda –, ou seja, oito apuradas pela classificação final do Europeu 2017, 12 da fase de qualificação e 4 organizadores.

Informações adicionais: www.cev.lu / eurovolley.cev.eu

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS