www.reliablecounter.com 

 

22-12-2017


HOLANDESAS VENCEM TORNEIO WEVZA E DOMINAM PRÉMIOS INVIDIDUAIS

A Holanda derrotou hoje, na final, a Alemanha por 3-1 (25-18, 24-26, 26-24 e 25-21) e ergueu o troféu de vencedora do Torneio de Sub-Femininos da WEVZA, disputado ao longo dos últimos quatro dias no Pavilhão Municipal de Santa Maria Maior, onde se irá realizar, de 26 a 29 de Dezembro, o Viana Volley Cup, torneio também dedicado aos escalões de formação.

As holandesas, irrepreensíveis nas acções ofensivas – Anna Zijl, Jette Kuippers e Jolijn De Haan – cedo se distanciaram no marcador (10-6, 17-13) rumo à vitória no 1.º set por 25-18.
No segundo set, e quando estava a vencer por 23-21, a Holanda foi surpreendida pela reacção das germânicas, que acabariam por «blindar» o resultado com dois serviços directos: 26-24.
No terceiro set, a Holanda pagou na mesma moeda: 26-24.
Ainda mais motivada, as holandesas não deixaram fugir a oportunidade de vencerem o jogo e o torneio da WEVZA, selando o quarto set com o resultado de 25-21.

Na hora da vitória, o treinador da Holanda, Eelco Beul afirmou:
"Estou muito feliz pelas raparigas, pois mereceram vencer este Torneio, que teve bom nível e boa organização. Tinha-as avisado que jogar um torneio é uma coisa, jogar uma final é totalmente diferente. Tivemos momentos muito bons, à semelhança da Alemanha, mas também cometemos alguns erros bem infantis. É uma equipa que tem muito potencial. Parabéns à Alemanha pela forma como se bateu e parabéns à minha equipa. Esta final será um momento importante para os próximos anos, mas hoje a noite é delas e devem usufruir desta vitória".

A Suíça subiu ao último degrau do pódio ao vencer a aguerrida Espanha por 3-1 (25-27, 28-26, 29-27 e 25-21).
O primeiro set foi disputado ao ritmo de uma toada de equilíbrio (23-23), mas as espanholas lograram alcançar a vitória graças a três pontos (dois ataques e um bloco) da Zona 4 Candela Alonso: 27-25.
O segundo parcial foi o contrário do primeiro. As espanholas chegaram à parte final do set em vantagem (20-16), mas as helvéticas igualaram (20-20) e rumaram ao triunfo: 28-26.
Na senda dos anteriores, o quarto set foi disputado taco-a-taco, com as igualdades consecutivas a terminarem apenas aos 29-27, favoráveis à Suíça.

Johannes Nowotny, treinador da Bélgica, não escondeu a sua alegria:
"Estamos muito felizes com a conquista da medalha de bronze. Não estávamos à espera, mas a equipa acreditou e vencemos bons adversários. Este torneio teve bom nível e foi muito bom para as equipas, bem organizado e gostámos de cá estar... apesar do frio [risos]".

No 5.º lugar ficou a Bélgica ao vencer, por 3-2 (18-25, 27-25, 25-17, 25-27 e 15-11), a França.
As gaulesas dominaram totalmente o primeiro set, construindo uma vantagem (20-15) que praticamente lhe garantiu desde logo o triunfo: 25-18.
No segundo parcial, as francesas voltaram criar um fosso pontual (15-7), mas as belgas, desta vez, foram capazes de o «transpor» (17-16) e alcançar mesmo a vitória por 27-25.
A Bélgica colocou-se em vantagem logo desde o início do terceiro set (7-3) e foi gerindo a distância até aos 25-17 finais.
No quarto set, a França sofreu para se manter na luta. Esteve sempre a perder até aos 23-21, mas a sua reacção foi recompensada com o triunfo por 27-25.
Na «negra», a Bélgica desfez uma igualdade a 9 pontos e só parou com o apito final do árbitro: 15-11.

No final, a capitã belga Caitlin Van De Perre destacou:
"Estamos contentes. Merecemos este quinto lugar, que é fruto do nosso trabalho árduo. Foi pena não termos vencido o primeiro jogo, frente à Suíça, pois ficaríamos no primeiro lugar da poule e hoje disputaríamos a vitória no torneio".

No jogo de atribuição do 7.º e do 8.º lugar, disputado entre Portugal B e Portugal A, a selecção mais forte fez valer o seu favoritismo, tendo vencido por 3-0 (25-20, 25-15 e 25-17), após um começo periclitante, em que esteve a perder por 5-12.

No final, Manuel Almeida, treinador da Selecção Nacional de Sub-17 que vai disputar a qualificação para o Europeu 2018, salientou:
"Não posso esconder alguma desilusão por não termos vencido qualquer jogo na fase dos grupos depois das boas exibições que tivemos de ambas as equipas e fica um amargo de boca sabendo que hoje poderíamos, ou até mesmo deveríamos, ter disputado o 3.º e o 4.º lugar desta competição. 
Faltou-nos consistência e discernimento nos momentos decisivos dos sets e dos encontros. Não é de estranhar as dificuldades que as nossas atletas demonstram nesses momentos comparativamente com as atletas das restantes equipas, uma vez que todas as estrangeiras treinam juntas como equipa há cerca de duas épocas e, principalmente, porque competem em escalões seniores. O nosso grupo está a treinar há apenas três meses em dois pólos (Porto e Lisboa) e apenas tivemos duas oportunidades de nos juntarmos antes da concentração para este torneio, concentração essa que aconteceu esta segunda-feira para começar a competir na terça.
Além disso, as nossas jogadoras estão a disputar os Campeonatos Regionais de Iniciadas e Cadetes, com as nítidas diferenças de velocidade, e principalmente ao nível das exigências de leitura e antecipação, capacidades estas que apenas serão adquiridas se jogarem a este nível. O nosso objectivo foi aproveitar este torneio para dar o maior volume de jogo possível ao maior número de atletas que irão disputar a poule de apuramento para o Campeonato de Europa daqui a duas semanas, e nesse aspecto considero o torneio muito produtivo. Levamos importantes lições na bagagem que serão muito úteis para o próximo objectivo competitivo e que servem de motivação para continuarmos esta tentativa de aproximação à realidade internacional
".

Prémios individuais

MVP (Jogadora Mais Valiosa): Jolijn De Haan (HOL)
Melhor Pontuadora: Raquel Montoro (ESP)
Melhor Atacante: Anna Zijl (HOL)
Melhor no Serviço: Chiara Ammirati (SUI)
Melhor Blocadora: Jolijn De Haan (HOL)
Melhor Libero: Erika Kildau (ALE)

 

 

21-12-2017


Alemanha conquista bilhete para a final no jogo mais disputado do torneio da WEVZA

A Alemanha vai defrontar a Holanda no jogo de atribuição dos 1.º e 2.º lugares no Torneio de Sub-16 Femininos da WEVZA, agendado para as 20h00 de sexta-feira. Um jogo a não perder e que coloca frente a frente aquelas que eram as selecções favoritas. Resta saber qual será a mais forte...
Os outros jogos são:
3.º e 4.º lugares - Espanha x Suíça (18h00)
5.º e 6.º lugares - Bélgica x França (16h00)
7.º e 8.º lugares - Portugal B x Portugal A (14h00)

Espanha x Alemanha, 2-3 (20-25, 25-12, 21-25, 26-24 e 10-15)
O primeiro set foi marcado pelo equilíbrio quase até ao final, mas as alemãs mostraram mais frieza nos moemntos decisivos e venceram por 25-20.
As espanholas entraram de rompante no segundo parcial (4-1, 15-6). Um serviço directo de Candela Alonso pôs a nu as dificuldades das germãnicas na recepção (19-9). E foi com um serviço directo da capitã Raquel Montoro que a Espanha selou o resultado: 25-12.
A Alemanha voltou a imprimir maior agressividade às suas acções ofensivas e foi recompensada com serviços directos que lhe permitiram vencer por 25-21.
Fiel aos atributos que os adversários lhe reconhecem, a Espanha não desistiu, acreditou sempre e, com garra, venceu por 26-24 o quarto set.
Na «negra», enquanto a Espanha lutava com coragem mas mais com o coração do que acabeça, a Alemanha mostrou ter mais soluções no plantel e mais discernimento nos momentos cruciais, vencendo por 15-10 e assegurando um lugar na final.
No final, a capitã alemã, Paula Schurholz salientou:
"Vimos os dois primeiros jogos da Espanha neste torneio e sabíamos que iríamos ter dificuldades para vencer, mas servimos muito bem e, sobretudo, actuámos sempre como uma equipa, muito unidas nos momentosmais adversos.
Amanhºã, na final, tudo pode acontecer. É verdade que já as defrontámos duas vezes e perdemos. A Holanda tem boas jogadoras e vai ser muito difícil, mas vamos entrar em campo determinadas a conquistar a vitória neste torneio de bom nível".

Holanda x Suíça, 3-0 (25-12, 25-12 e 25-21). O outro jogo grande do dia não correspondeu às expectativas, já que a Holanda nunca deu a mínima hipótese de a Suíça lutar pela vitória e carimbou a qualificação para afinal do torneio desde os primeiros minutos. O triunfo, algo pesado, recompensa o jogo sem falhas da laranja mecânica e castiga a falta de soluções da equipa helvética.
"A Suíça mostrou nos dois primeiros jogos que era um adversário forte, com uma boa distribuidora e zonas 4 eficazes, mas nós temos procurado melhorar o que não nos correu tão bem nos dois primeiros jogos e hoje fizemos um jogo muito bom, dentro daquilo que sei que esta equipa é capaz de fazer.
O nosso objectivo é melhorar cada vez mais e vencer o torneio, como é natural, está nos nossos planos, embora estejamos a contar com uma equipa forte na final. Se for a Alemanha, é uma equipa muito bem estruturada, agressiva e muito poderosa; se for a Espanha, vamos defrontar jogadoras com muita habilidade e com um espírito de guerreiras".

França x Portugal, 3-1 (22-25, 25-23, 27-25 e 25-15). Na luta pelo terceiro lugar na Poule B, Portugal desfez uma igualdade (16-16) e caminhou para o triunfo no primeiro set ao complementar uma eficácia na defesa com os ataques de Maria Reis Lopes e os serviços de Matilde Mouta: 25-22.
O segundo set foi bem diferente: após uma igualdade aos 19 pontos, as gaulesas dispuseram de uma excelente oportunidade para fecharem o set (24-20), mas não ganharam para o susto com a reacção portuguesa, tendo selado o parcial com um apertado 25-23.
O terceiro set foi muito equilibrado e dramático nos momentos finais, com as igualdades constantes a serem quebradas apenas nos 27-25 favoráveis às francesas.
No quarto set, e com Julie Henyo a servir, a França passou de uma igualdade (8-8) para uma ampla vantagem (17-8), decisiva para conquistar a vitória por 25-15.
Para Phillipe Marta, treinador da França, a diferença esteve "no serviço, pois o nosso foi superior ao de Portugal, e talvez na determinação com que as minhas jogadoras encararam este jogo.
Amanhã, frente à Bélgica vai ser um jogo muito bom para nós porque é com estes jogos que podemos crescer como equipa e preparar melhor a fase de qualificaçãp para o Europeu."

Bélgica x Portugal B, 3-0 (25-20, 25-10 e 25-19). A Bélgica entrou muito bem no jogo e Portugal só conseguiu reagir nos momentos finais, reduzindo a diferença com dois serviços directos de Ana Rita Silva, mas não evitando a derrota por 20-25.
Ao vencerem o segundo set (25-10), as belgas asseguraram desde logo o 3.º lugar na Poule A.
Mais descontraídas no terceiro parcial, as portuguesas chegaram aos 14-10, mas as belgas igualaram e voltaram a fechar o set com uma diferença confortável: 25-19.
No final, o treinador belga, Robin De Bont, esclareceu:
"Não foi um jogo tão fácil como o resultado aparenta, pois tivemos de jogar sempre focados; quando não o fazíamos, Portugal aproveitava logo para somar alguns pontos.
Até agora, só temos de lamentar o jogo menos conseguido que fizemos no jogo inaugural, já que ontem jogámos a um nível elevado frente à Holanda e hoje também estivemos ao nosso nível. Foi pena, pois se tivéssemos estado melhor frente à Suíça, poderíamos disputar amanhã uma medalha".

 

 

20-12-2017


QUATRO FAVORITAS PARA DOIS LUGARES DE FINALISTAS

O Torneio de Sub-16 Femininos da WEVZA está ao rubro. Amanhã serão disputados os jogos decisivos para a definição dos primeiros classificados dos grupos: o Holanda x Suíça, que define o vencedor da Poule A e o Espanha x Alemanha, que apura o 1.º classificado da Poule B. Tendo em atenção as exibições de hoje, há quatro candidatos para os dois lugares de finalistas...

Hoje, as germânicas venceram sem grandes dificuldades (3-0: 25-12, 25-18 e 25-22) uma equipa portuguesa algo diferente do jogo com a Espanha, que apenas a espaços conseguiu criar problemas à sua adversária.
Apesar de somar duas vitórias, para consolidar o 1.º lugar na poule a equipa alemã tem de vencer, amanhã, a Espanha, que também não conheceu ainda o sabor amargo da derrota.
As germânicas venceram com surpreendente facilidade o primeiro set frente a Portugal, valendo-se, sobretudo do seu forte serviço, muito bem complementado por um bloco sólido, «autor» dos pontos que consolidaram a vitória por 25-12.
No segundo parcial, tirando uma aproximação das portuguesas aos 17-15, a Alemanha voltou a não sentir grandes problemas na sua marcha triunfal: 25-18.
O terceiro set set foi o mais equilibrado. À entrada para a recta final, a Alemanha vencia por apenas um ponto (22-21), mas mostrou-se mais consistente e acabou por triunfar por 25-22.
A alemã Lara Darowski, com 11 pontos, e as portuguesas Maria Lopes (9) e Alece Clemente (8) foram as melhores pontuadoras.
Para consolidar o 1.º lugar na poule, a equipa alemã tem de vencer, amanhã, a Espanha.

No final, Jens Tietbohl, Treinador da Alemanha, reconheceu:
"Não foi um bom jogo da nossa parte. Portugal serviu bem e criou-nos muitos problemas na recepção. Amanhã, frente à Espanha, será um jogo muito interessante, mas é claro que esperamos ganhar".

Espanha x França, 3-0 (27-25, 25-22 e 25-18). Jogo «rasgadinho» como se esperava de um embate entre duas equipas com valor semelhante e igualmente aguerridas.
As «nuestras hermanas» venceram o set inaugural com um serviço directo, mostrando que o calcanhar de Aquiles das gaulesas é mesmo a recepção, pois as suas jogadoras dominam os outros fundamentos do jogo: 27-25.
O segundo parcial foi mais do mesmo: quando chegou a altura decisiva, as espanholas mostraram-se mais disciplinadas e ambiciosas, voltando a vencer: 25-22.
As espanholas entraram no terceiro set a respirar confiança (11-8, 16-11) e nunca se desviaram do caminho da vitória: 25-18.

No final, a capitã espanhola, Raquel Montoro, defendeu: "Creio que já mostrámos que temos valor para sermos primeiras no nosso grupo, pois não temos uma boa equipa, não nos rendemos nunca e jogamos quase sempre ao mesmo nível, a cem por cento.
Não acredito que haja favoritos neste torneio, mas a Holanda parece ser a equipa mais poderosa".

Poule A

Bélgica x Holanda, 3-2 (25-15, 15-25, 25-15, 21-25 e 21-19). As belgas entraram da melhor forma no jogo - ao invés das holandesas, que acumulavam erros atrás de erros, quer na recepção quer na defesa -, criando uma vantagem confortável, que foram gerindo ao longo do set (6-0, 14-7, 22-14) até ao triunfo por números tão surpreendentes como esclarecedores 25-15.
A equipa orientada por Eelco Beul aprendeu a lição. Entrou no segundo set com outra determinação e atitude, impôs a sua supremacia nas acções na rede e foi somando pontos até à vitória por desnivelados 25-15.
Não querendo ficar atrás, a Bélgica respondeu à letra, vencendo novamente por 25-15 no terceiro parcial...
No quarto set, as holandesas deram o tudo por tudo. Lideraram sempre o marcador (17-12), mas à entrada para a recta final do set as belgas aproximaram-se perigosamente (20-21). Valeu um maior discernimento nos momentos cruciais... e um serviço directo: 25-21.
Na «negra», o nervosismo pesou demasiado na exibição das duas equipas. A Holanda começou melhor (5-3), mas a Bélgica igualou com um serviço directo de Bente Deckers (7-7). A perder por 10-12, a Bélgica igualou com dois serviços directos. A pressão e responsabilidade faziam mossas a nível psicológico e o resultado prolongou-se até aos 21-19 que deram a vitória à equipa orientada por Robin De Bont.

No final desta «maratona», o treinador belga reconheceu:
"Foi efectivamente um jogo louco, disputado de forma muito intensa, entre duas equipas muito jovens. Ganhámos bem os sets e a Holanda fez o mesmo. No set decisivo, houve muitos nervos à mistura e a vitória podia ter sorrido a qualquer um. Vencemos uma selecção forte como a Holanda e estamos muito contentes, mas o nosso grande objectivo mantém-se: queremos evoluir como equipa".

Suíça x Portugal B, 3-1 (25-12, 23-25, 25-20 e 25-15). No primeiro set, as helvéticas não deram qualquer hipótese de reacção às portuguesas: 25-12.
Contudo, a equipa orientada por Manuel Almeida e Fernando Alves não esmoreceu. Reorganizou o seu jogo, revolucionou a sua atitude, aparecendo mais agressiva e determinada e venceu o parcial por 25-23.
A Suíça reagiu no terceiro set, desfazendo uma igualdade (18-18) e vencendo o parcial por 25-20.
No quarto e último set, a equipa de Johannes Nowotny voltou a não permitir veleidades à sua adversária, vencendo por 25-15.
Amanhã, disputa-se o jogo grande desta Poule, com as suíças, ainda invictas, a defrontarem as holandesas.

Annick Stahli, Zona 4 da Suíça, alerta:
"A Holanda é a favorita, tem uma boa equipae jogadoras fortes, mas acreditamos que podemos vencê-las, se jogarmos bem no ataque e as conseguirmos pressionar. Temos duas vitórias em dois jogos e estamos a jogar bem e isso dá-nos ainda mais confiança".

 

 

19-12-2017


Arranque auspicioso do Torneio de Sub-16 Femininos da WEVZA

#U16WEVZAW #Femininos #WEVZA #Sub16

O primeiro dia de competição do Torneio de Sub-16 Femininos da WEVZA aguçou o apetite dos adeptos que seguiram in loco os jogos no Pavilhão de Santa Maria Maior, em Viana do Castelo, ou através do site federativo www.volei.tv ao proporcionar excelentes espectáculos de Voleibol, com destaque para o Portugal A x Espanha, 2-3 (25-22, 14-25, 22-25, 26-24 e 13-15), da Poule B.
O primeiro set do duelo ibérico Portugal x Espanha na WEVZA foi um autêntico braço-de-ferro, com as espanholas a tomarem a liderança do marcador (21-19), mas as portuguesas a mostrarem melhor ponta final (23-22) e a selarem o triunfo por 25-22, com um ataque demolidor da capitã Maria Reis Lopes.
A Espanha respondeu de forma a não deixar dúvidas que iria lutar pela vitória no jogo, tendo vencido o segundo parcial por 25-14.
No terceiro set, Portugal acordou tarde e não foi a tempo de lutar pelo triunfo, tendo a Espanha vencido por 25-22.
O quarto set foi o mais emocionante e terminou com um ataque de Alice Clemente a fazer um merecido 26-24.
Numa «negra» imprópria para cardíacos, a Espanha, que chegou a estar a vencer por 5-0, acabou por triunfar pela diferença mínima: 15-13.
No final, Jose Miguel Serrato, Treinador da Espanha, reconheceu: "Foi um jogo em que a vitória podia ter caído para qualquer lado. Estas jogadoras ainda são muito novas e o nervosismo pode ditar um resultado. Jogámos bem, mas as portuguesas defenderam muito bem e o resultado final foi sempre uma incógnita. Vamos tentar melhorar de jogo para jogo num torneio muito bom para a preparação das selecções".
Portugal defronta amanhã (20h00) as germânicas...

O Alemanha x França (3-1: 18-25, 25-21, 25-13 e 25-23) foi o último jogo do 1.º dia de competição, mas não defraudou as expectativas dos entusiásticos adeptos, já que estes tiveram a possibilidade de assistir a um bom momento de Voleibol protagonizado por duas das mais fortes selecções do torneio.
Jens Tietbohl, Treinador da Alemanha, reconheceu: "As minhas jogadoras estavam muito nervosas porque era o primeiro jogo internacional oficial desta equipa e a França jogou muito bem, sobretudo na defesa. Este torneio tem bom nível, a Espanha,, Portugal A e a França parecem-me equipas fortes e isso é muito bom para preparar a fase de qualificação para o Campeonato da Europa".

Poule A

Portugal B x Holanda, 0-3 (16-25, 17-25 e 23-25). Jette Kuipers e Anna Zijl, com 12 pontos, foram as melhores pontuadoras, com Mariana Moreira, com 8 pontos, a ser a portuguesa mais concretizadora.
As holandesas entraram de forma intempestiva no jogo. Com jogadoras muitos altas, acima do 1.80 metros, criaram muitas dificuldades ao ataque das portuguesas (16-9), mas foi através do seu serviço forte que as holandesas acabaram com a resistência da equipa orientada por Manuel Almeida: 25-16, com um bloco de Anneclaire Ter Brugge.
O segundo set acabou por ser quase idêntico, com a supremacia das possantes holadesas nas jogadas ofensivas, e terminou com o resultado de 25-17.
O terceiro parcial foi bem diferente: com as portuguesas a baterem-se bem (16-17) e a chegarem à vantagem (23-21), mas a maior calma e o poderio das holandesas a ser vital nos momentos finais, consolidando o triunfo por 25-23.
Treinador da Holanda, Eelco Beul:
"Este torneio tem o timming ideal para preparar a qualificação para o Europeu de Sub-17. Está bem organizado e as pessoas são acolhedoras. Sentimos que temos todas as condições para fazer uma boa preparação. O nosso objectivo é progredir como equipa e para isso precisamos de defrontar as melhores equipas. Vencer o primeiro jogo é sempre importante, pois há sempre muitos nervos à mistura e ganhar dá sempre uma dose extra de confiança".
Manuel Almeida, Treinador de Portugal: "Estivemos bem no serviço e na racepção, se tivermos em consideração que defrontámos uma equipa forte sob o ponto de vista físico e também técnico, mas os pequenos pormenores, como o controlo de bola e o ritmo e consistência do jogo, acabam por fazer a diferença. A Holanda tem uma boa equipa, comete poucos erros e nós acabámos por demonstrar algum nervosismo e falta de experiência em momentos-chave do jogo, como no final do terceiro set".

Suíça x Bélgica, 3-1 (25-23, 25-20, 19-25 e 25-20).
Mostrando-se mais consistente nas acções ofensivas, quer no ataque quer no serviço, as helvéticas lideraram o marcador no primeiro set, aguentaram a reação das belgas (21-20) e acabaram por vencer o primeiro parcial pela diferença mínima: 25-23.
No segundo set, as pupilas de Johannes Nowotny voltaram a mostrar-se mais fortes (8-4), com destaque para Michaela Nussbaumer, uma jogadora completa apesar da sua juventude. As belgas ainda conseguiram equilibrar o marcador (16-16), mas as suíças revelaram-se mais agressivas e ambiciosas na recta final: 25-20.
No terceiro set, a Belgica tomou em mãos as rédeas do jogo (9-4), mas, com Michaela Nussbaumer no serviço, a Suíça recuperou (9-7). Novo assomo das belgas permitiu-lhes criar uma margem folgada (22-14) e assim abrir caminho para a vitória: 25-19.
No quarto set, a Suíça voltou a pressionar logo de início com o serviço e a defesa alta e foi, paulatinamente, somando pontos até ao triunfo por 25-20.
Johannes Nowotny, Treinador da Suíça: "É sempre bom vencer e esta vitória foi ainda mais importante porque foi conseguida no primeiro jogo internacional destas jogadoras. A nossa ambição neste torneio é conseguirmos progredir de jogo para jogo e actuarmos como hoje, com um bom serviço, sem erros e concentrados a cem por cento".

Toda a informação sobre o Torneio Sub-16 da WEVZA em http://fpvoleibol.pt/wevza-u16fem/ e transmissão de jogos em directo e exclusivo no site www.volei.tv

 

 

15-12-2017


TODOS OS JOGOS DO TORNEIO WEVZA EM DIRECTO E EXCLUSIVO NO VOLEI.TV

O Torneio Internacional WEVZA de Sub-16 Femininos, a disputar em Viana do Castelo de 19 a 22 de Dezembro, será transmitido em directo, em exclusivo e na íntegra no site federativo www.volei.tv

Neste Torneio de Sub-16 Femininos da WEVZA (Associação Zonal de Voleibol do Oeste Europeu), a disputar no Pavilhão Municipal de Santa Maria Maior, Portugal vai participar com duas selecções*, designadas por Selecção Nacional A e Selecção Nacional B.
A Selecção A irá defrontar, na Poule B, a França, a Espanha e a Alemanha, enquanto a Selecção Bmedirá forças com a Holanda, a Bélgica e a Suíça na Poule A.
Ver jogos aqui

Recorde-se que aquela que é conhecida como a Princesa do Lima e/ou a Princesa do Minho recebeu, já este ano, as poules europeias de qualificação para os Campeonatos do Mundo de Sub-21 Masculinos e de Sub-20 Femininos, ambas em 6 a 8 de Janeiro, e a poule europeia de qualificação para o Campeonato do Mundo de Seniores Femininos, de 31 de Maio a 4 de Junho.

Este torneio da WEVZA insere-se no plano de preparação da Selecção Nacional de Sub-17 que visa a participação na Poule de Apuramento para o Campeonato da Europa de Sub-17 Femininos, a disputar de 5 a 7 de Janeiro de 2018 na Hungria.

Atletas convocadas para a WEVZA*
(clicar na imagem para aumentar)

Equipa Técnica

Team Manager
Paula Semedo

Treinadores
Manuel Almeida
Fernando Alves

Fisioterapeuta 
Diogo Barata

Scouter/Estatístico
Luís Andrade

A fase final do Campeonato da Europa de Sub-17 femininos realiza-se de 13 a 21 de Abril de 2018 na Bulgária.

 

 


11-12-2017


LISTA DAS 24 PRÉ-CONVOCADAS PARA O TORNEIO DA WEVZA

Tendo em vista a participação no Torneio de Sub-16 Femininos da WEVZA (Associação Zonal de Voleibol do Oeste Europeu), de 19 a 22 de Dezembro em Viana do Castelo, e a Poule de Apuramento para o Campeonato da Europa de Sub-17 Femininos, a disputar de 5 a 7 de Janeiro de 2018, a equipa técnica formada por Manuel Almeida e Fernando Alves anunciou hoje uma pré-convocatória de 24 atletas.

No Torneio da WEVZA (do inglês Western European Volleyball Zonal Association), Portugal vai participar com duas selecções, designadas por Selecção Nacional A e Selecção Nacional B.

Na competição, a disputar no Pavilhão Municipal de Santa Maria Maior, a Selecção A irá defrontar, na Poule B, a França, a Espanha e a Alemanha, enquanto a Selecção B medirá forças com a Holanda, a Bélgica e a Suíça na Poule A.

Atletas pré-convocadas

AA José Moreira
Beatriz Elaerts
Inês Vasco
Beatriz Landau
Marlene Pereira
Maria João Belo
Diana Almeida

Castêlo da Maia GC
Matilde Teixeira
Matilde Mouta
Rita Campos

Ala Nun'Álvares de Gondomar
Maria Reis Lopes
AA São Mamede
Sofia Pinho
Rita Calheiros
Sofia Ramos

GDC Gueifães
Rita Silva

Leixões SC
Mariana Moreira

Lusófona VC
Madalena Baião
Mafalda Brás
Maria Francisca

CSCM Fátima
Alice Clemente

Esc. Pedro Eanes Lobato
Amanda Cavalcanti
Beatriz Amiguinho
Esc. Sec. Madeira Torres
Marisa Pardal
Carolina Aguiar

Juventude Pacense
Carolina Sousa

Equipa Técnica

Team Manager
Paula Semedo

Treinadores
Manuel Almeida
Fernando Alves

Fisioterapeuta
Diogo Barata

Scouter/Estatístico
Luís Andrade

 



POOL A
HOLANDA [NED]
BÉLGICA [BEL]
SUIÇA [SUI]
PORTUGAL B [POR]
19/12 | 14:00 | SUI-BEL
19/12 | 16:00 | POR B-NED
20/12 | 14:00 | BEL-NED
20/12 | 16:00 | SUI-POR B
21/12 | 14:00 | NED-SUI
21/12 | 16:00 | BEL-POR B
 

POOL B
FRANÇA [FRA]
ESPANHA [ESP]
PORTUGAL [POR]
ALEMANHA [GER]
19/12 | 18:00 | POR-ESP
19/12 | 20:00 | GER-FRA
20/12 | 18:00 | ESP-FRA
20/12 | 20:00 | POR-GER
21/12 | 18:00 | FRA-POR
21/12 | 20:00 | ESP-GER

 
FINALS
7/8 CLASS
5/6 CLASS
3/4 CLASS
1/2 CLASS
22/12 | 14:00 | POR B-POR A
22/12 | 16:00 | BEL-FRA
22/12 | 18:00 | SUI-ESP
22/12 | 20:00 | NED-GER