Previous Page  6 / 36 Next Page
Basic version Information
Show Menu
Previous Page 6 / 36 Next Page
Page Background

Selecção Nacional

6

da fonte de conhecimentos e experiência ao ombrearem

com os nossos jogadores mais experientes e, com as suas

exibições e irreverência, disseram que o Voleibol

nacional tem futuro...

Hugo Silva, Seleccionador Nacional, referiu: "Em relação

ao balanço desta Liga Mundial, posso dizer que é muito

positivo, pois nós, que aparecíamos como um outsider,

lutámos até ao último jogo pela qualificação para a Final

Four. Estou orgulhoso desta equipa e deste grupo de

trabalho, a quem quero agradeço pelo empenho,

dedicação e lealdade para comigo. É uma honra treinar

um grupo destes.

[Sobre Manuel Silva] Não gosto de perder nenhum atleta

e ainda por cima um do calibre do Manel, que é um

exemplo de dedicação e disponibilidade para todos os

atletas. Desejo-lhe as maiores felicidades e agradeço

todo o apoio que me deu e tudo o que fez ao serviço da

Selecção".

Mais informações:

www.fivb.org

|

www.fpvoleibol.pt/WL2014 www.fb.com/fpvoleibol

|

www.volleybal.tv

O sangue novo injectado na Selecção Nacional de

Seniores Masculinos trouxe ainda mais ambição a um

grupo de trabalho que lutou pela presença na Final Four

de Sydney e nunca baixou os braços perante as

adversidades, tendo, inclusive, atingido a recta final da

Liga Mundial 2014 na liderança da Poule E, um feito só

por si já assinalável.

No reverso da medalha, a equivalente dose de

inexperiência, misturada com alguma falta de sorte – ex:

a lesão de João José na República Checa, país para o qual

os pupilos de Hugo Silva viajaram com a liderança na

bagagem – não permitiram que a Selecção de todos nós

fosse (ainda) mais longe. No entanto, as ovações do

público que saudaram os melhores momentos das suas

exibições, fosse em solo holandês, checo, coreano ou

português – os adeptos acorreram em número e

entusiasmo aos pavilhões de Matosinhos e da Póvoa de

Varzim – foram uma justa recompensa para uma equipa

em constante evolução qualitativa.

João Oliveira (19 anos), Miguel Rodrigues (21) e Ivo Casas

(22), os guerreiros lusitanos mais novos, beberam bem

EXPERIÊNCIA

CERTEZA

ESPE

do passado,

a

do presente e a