31-JULHO-2016
ITÁLIA CONQUISTA
TORNEIO DAS 8 NAÇÕES

 


Sem grandes surpresas, tendo em conta o percurso das equipas, a classificação final do Torneio das 8 Nações, em Sub-17 Femininos, ficou assim definida: 1.º Itália; 2.º Alemanha; 3.º França; 4.º Espanha; 5.º Holanda; 6.º Bélgica; 7.º PORTUGAL; 8.º Suíça.
A única surpresa acabou por ser a forma categórica como as italianas bateram (3-0: 25-18, 25-21 e 25-20) as alemãs, as únicas adversárias que lhes tinham infligido uma derrota (2-3) na fase de grupos...

7.º Portugal x 8.º Suíça, 3-1 (21-25, 25-18, 25-16 e 35-33) 

Apesar de ter começado o jogo algo nervosa (0-3), a Selecção Nacional cedo se recompôs (3-3) e passou para a liderança do marcador (7-6) com um ataque de Matilde Calado, filha do antigo libero da Selecção Nacional, Hugo Ribeiro.
A Suíça reagiu com três serviços directos de Sophie Freiburghaus (12-10). Portugal voltou a equilibrar... com um serviço directo de Matilde Calado (12-12).
Portugal chegou ao 2.º tempo técnico a vencer pela margem mínima (16-15), mas as helvéticas mostraram-se mais serenas e consistentes nos momentos decisivos e venceram o set por 25-21.
Portugal reentrou no jogo disposto a rectificar os últimos momentos do set inicial (4-0).
Um serviço directo da capitã Inês Sousa aumentou o pecúlio pontual (6-0). Os serviços das portuguesas causavam mossas na recepção das suíças (8-1).
Um ataque de Beatriz Rodrigues distanciou ainda mais as lusitanas (10-1), recompensando-as pela boa exibição.
Dois serviços de Marta Cristo mantiveram Portugal na crista da onda (14-2)... e mais um «ás» da n.º 12 portuguesa levou o público ao rubro (17-2).
A reacção das suíças fez-se sentir (14-22), mas um serviço directo de Inês Sousa (23-14) trouxe alguma serenidade às hostes lusitanas, que acabariam por selar a vitória com o resultado de 25-18.
Com um ataque ao segundo toque, Portugal fixou o marcador em 8-4 no 1.º tempo técnico. Um serviço directo de Matilde Calado (12-5) obrigou Johannes Nowotny a reunir com as suas pupilas.
Carolina Garcez manteve Portugal na senda de conquista de pontos (16-7).
Isabel Castro e Matilde Calado fecharam, no ataque, o set com o resultado de 25-16.
A perder po 0-2, a equipa orientada por Afonso Neves passou para a liderança com um serviço directo de Carolina Garcez (5-4). Ainda com a n.º 8 lusa a servir, a Selecção Nacional chegou aos 9-4.
Um ataque de Catarina Candeias manteve a Suíça a uma distância razoável (16-10). Um bloco de Carolina Garcez/Marta Cristo (19-10) indicava o caminho do triunfo no set e no jogo, mas a vitória só seria concretizada após uma emocionante maratona de pontos com o resultado de 35-33.

5.º Holanda x 6.º Bélgica, 3-1 (25-16, 25-20, 22-25 e 25-16)

A perder por 5-10, a Bélgica procurou recuperar terreno (8-10) e logrou equilibrar as forças pouco depois (12-12).
Um ataque de Hester Jasper, a artilheira de serviço da laranja mecânica, motivou um pedido de tempo por parte do treinador belga (15-12), mas a paragem não surtiu o efeito desejado e a Holanda continuou a comandar as operações.
Outro dos muitos pontos no ataque rubricados pela n.º 6 holandesa obrigaram Robin De Bont a gastar novo pedido de tempo (19-14), mas Hester continuou a facturar (23-15) nas acções ofensivas e a Holanda venceu, com naturalidade, por 25-16.
A Bélgica regressou ao campo com outra determinação (3-0, 5-2), mas um serviço directo de Hester e um ataque de Rianne Vos igualaram a contenda.
Um erro da equipa belga ofereceu ainda a liderança à Holanda (6-5), mas as pupilas de Robin De Bont lograram chegar em vantagem ao 1.º tempo técnico (8-7).
Os serviços de Camille Hannaert desorientaram a recepção holandesa (15-12), mas dois pontos rubricados pela incontornável Hester guindaram novamente a Holanda à liderança (16-15).
Um serviço directo de Maureen van der Woude tornou tudo mais fácil (21-17) e Wies van Solkema fechou o set com o resultado de 25-20.
No terceiro parcial, um serviço directo de Charline Humblet e um ponto no ataque de Camille Hannaert deram vantagem à Bélgica (8-5).
A vantagem das belgas manteve-se até final (25-22), pese embora o susto provocado pela reacção holandesa (de 17-23 para 22-23)...
No quarto set, um serviço directo de Camille Hannaert deu vantagem à Bélgica (12-11), mas as holandesas, lideradas por Hester Jasper, começaram a controlar as operações (16-13).
O último ponto foi concretizado, como não podia deixar de ser, por Hester Jasper, a melhor jogadora da Holanda e uma das melhores do torneio: 25-16.

4.º Espanha x 3.º França, 2-3 (25-23, 25-21, 10-25, 23-25 e 12-15)

No primeiro set, a França deu um passo em frente com três serviços directos de Mahe Mauriat e ataques da capitã Yva Davidovic e de Marie Nevot (7-0). As espanholas amenizaram os estragos provocados na sua recepção e defesa, mas não puderam impedir que as gaulesas atingissem o 1.º tempo técnico com o dobro dos seus pontos (8-4).
Dois serviços directos de Yva Davidovic distanciaram ainda mais a França (14-7), que, a vencer por 22-15, viu a Espanha crescer nos momentos finais. A perder por 19-23, a Espanha colocou a servir Adriana Corcelles, que fez quatro pontos no serviço e o restante no ataque (25-23)...
A França chegou ao 1.º tempo técnico a vencer (8-7). Dois serviços directos da capitã Raquel Castellanos colocaram a Espanha na liderança (11-10), mas a França voltou à carga (16-14).
Mais dois serviços directos de Castellanos e a Espanha a saltar para a liderança (20-19), para nunca mais a largar: 25-21.
Arriscando o tudo por tudo, a França atingiu o 1.º tempo técnico do terceiro set a vencer por uma mão cheia de pontos (8-3). Pouco depois, a diferença era ainda maior (13-5, 16-7)... e Miguel Tornero começou a poupar as suas jogadoras para o set seguinte. Dois serviços directos (23-10) de Pauline Giordano colocaram a França às portas do triunfo: 25-10.
No quarto set, e mesmo com as titulares espanholas em campo, as francesas distanciaram-se (8-3).
Dois serviços directos ( 13-5) de Guiewe Diouf mostraram qual era a via mais rápida para o triunfo das gaulesas, mas, a vencer por 19-11, a França deixou a Espanha crescer e igualar e comandar a partida (20-19), após contabilizar nove pontos consecutivos...
Um serviço directo de Maeliss Graw (23-21) deu vantagem à França na recta final e as francesas fecharam o set com um ataque de Guewe Diouf: 25-23.
Num quinto set muito equilibrado, dois pontos (bloco e ataque) de Adrianna Corcelles deram vantagem à Espanha (6-3), mas o equilíbrio voltou a imperar até aos 10 pontos. A Espanha conseguiu uma pequena vantagem (12-10), mas três pontos de Manon Moreels modificaram tudo (13-12). Um serviço directo de Pauline Giordano deu o 14.º ponto às francesas e Guewe Diouf selou a vitória da França e a subida ao último degrau do pódio: 15-12.
 

2.º Alemanha x 1.º Itália, 0-3 (18-25, 21-25 e 20-25)

No primeiro set, a Alemanha pressionou desde o início, no serviço e ataque, e chegou com facilidade a uma vantagem significativa (7-2).
Um serviço directo de Camilla Weitzel deu ainda mais confiança às germânicas (10-4), mas as transalpinas, com Alice Tanase a servir e Linda Magani a facturar no ataque, recuperaram (10-8), obrigando Jens Tiebohl a parar o jogo. Fatim Kone fez os dois pontos que deram a igualdade (10-10) e, logo de seguida, Alice Tanase voltou a facturar no ataque. A somar a isto, dois erros (dois toques) das alemãs, um bloco e um serviço directo e a Itália somava o seu 12.º ponto consecutivo (!), fixando o resultado em 16-10.
A vitória, por 25-18, mostrou que a Itália queria mesmo vencer o Torneio das 8 Nações...
No segundo set, a Itália chegou com facilidade aos 13-6, mas a Alemanha não baixou os braços (11-15, 16-18, 19-21).
 As pupilas de Marco Mencarelli não se deixaram impressionar e Alice Tanase e Linda Mangani continuaram a facturar pontos no ataque (23-19). E a Itália fechou o set em beleza: 25-21, com um serviço directo de Giada Civitico.
No terceiro set, as italianas não tiraram o pé do acelerador e continuaram a ministrar uma autêntica lição às (ainda) invictas alemãs (12-3).
Um serviço directo de Josefin Bluhm fixou a enorme diferença no 2.º tempo técnico (16-8).
Um serviço directo (21-11) de Alice Tanase mostrou que a vitória era apenas uma questão de tempo: 25-20, com um ponto no ataque de Alice Tanase.

Mais informações do Torneio de 8 Nações (resultados e fotos) aqui

Calendário dos jogos

 Date / Dia

#

Time / Hora

Matches / Jogos

 

27.07.2016

 PA-1 

14h00

ITA - GER, 2-3

 PA-2 

16h00

NED - SUI, 3-0

 PB-1 

18h00

ESP - FRA, 1-3

 PB-2

20h00

BEL - POR, 3-0

 

28.07.2016

 PA-3 

14h00

GER - SUI, 3-0

 PA-4 

16h00

ITA - NED, 3-0

 PB-3 

18h00

FRA - POR, 3-1

 PB-4 

20h00

ESP - BEL, 3-1

 

29.07.2016

 PA-5 

14h00

NED - GER, 0-3

 PA-6 

16h00

SUI - ITA, 0-3

 PB-5 

18h00

BEL - FRA, 1-3

 PB-6 

20h00

POR - ESP, 0-3

 

30.07.2016

 SF-4 

14h00

Holanda x Portugal, 3-0

 SF-3 

16h00

Bélgica x Suíça, 3-0

 SF-2 

18h00

Alemanha x Espanha, 3-0

 SF-1 

20h00

França x Itália, 0-3

 

31.07.2016

 F-4 

14h00

Portugal x Suíça, 3-1

 F-3 

16h00

Holanda x Bélgica, 3-1.

 F-2 

18h00

Espanha x França, 2-3

 F-1 

20h00

Alemanha x Itália, 0-3

As imagens dos jogos chegaram ao público através do site da FPV (www.fpvoleibol.pt) ou do canal YouTube do Volei TV, disponível aqui

Mais informações: www.fpvoleibol.pt / Facebook

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS