12-MARÇO-2016
SL BENFICA NA FINAL
DA TAÇA DE PORTUGAL


O SL Benfica venceu hoje o Castêlo da Maia GC por 3-1 (25-15, 22-25, 25-17 e 25-17), tornando-se o primeiro finalista da Taça de Portugal 2016.

Contudo, o jogo foi mais complicado do que os números denotam, pois a equipa do Castelo da Maia GC entrou melhor na primeira meia-final da Taça de Portugal - seniores masculinos, tendo liderado sempre o marcador no primeiro set (2-0, 6-4) até ao primeiro tempo técnico (8-7), com um ataque do central Filip Cveticanin.
Um ataque poderosíssimo do central Flávio Soares (Zelão) deu a igualdade ao SL Benfica e um erro do ataque maiato deu aos lisboetas vantagem pela primeira vez (10-9). Foi o momento de viragem de um set até aí muito equilibrado.
Depois, outros dois erros consecutivos dos maiatos, no serviço e sideout, permitiram à equipa de José Jardim aumentar em cinco pontos o seu pecúlio e ganhar cada vez mais confiança (17-11).
Cada vez mais determinados e consistentes, ao contrário dos pupilos de Rui Pedro Silva, que acumulavam erros, os tricampeões nacionais abriram caminho (19-12) para um triunfo desnivelado no primeiro parcial: 25-15, com os dois últimos pontos a levarem a rubrica do capitão Hugo Gaspar (bloco e ataque).

No segundo set, o Castelo da Maia GC voltou a tomar em mãos a liderança do marcador (2-0, 7-6) até à primeira paragem obrigatória, com o 8-7 a ser conseguido num bloco a Hugo Gaspar.
Roberto Reis igualou (9-9) e uma série de serviços falhados pelas duas equipas prolongou esse equilíbrio pontual (11-11).
Duas acções ofensivas falhadas pelo SL Benfica deram novo fôlego ao Castêlo da Maia GC (13-11) e um serviço de Gustavo Figueiredo ainda aumentou a distância (14-11).
Contudo, um ponto do distribuidor Paulo Renan ao segundo toque e um bloco do gigante holandês Mart van Werkhoven igualaram a contenda (14-14) e um erro na defesa alta dos maiatos ofereceu a vantagem aos lisboetas (16-15).
Mas a procissão ainda ia no adro... Um ataque de Bernardo Martins permitiu ao Castelo manter-se próximo (18-17) e a experiência de Manuel Silva brindou a equipa com a igualdade (19-19). Um bloco do antigo internacional português deu a vantagem numa altura crucial (22-21), obrigando José Jardim a reunir com os seus jogadores.
Mas era demasiado tarde já que a determinação maiata não permitiu veleidades ao seu adversário na parte final do set: 25-22.

Com o jogo a tornar-se cada vez mais emotivo, o Castêlo começou por liderar (3-2), diferença anulada com dois pontos de Mart (5-4)... e logo recuperada com um serviço directo de Manuel Silva. Um ponto conseguido pelo distribuidor José Neves ao segundo toque manteve a liderança à chegada ao primeiro tempo técnico (8-7).
Porém, dois pontos consecutivos de Hugo Gaspar (ataque e bloco) permitiram aos vencedores da última edição da Taça passarem para a frente (11-9).
Novo bloco, desta vez da autoria de Zelão, aumentou a distância (12-9). O central Hélio Sanchez respondeu com um bloco (13-11), mas dois pontos de Hugo Gaspar anularam a pressão (16-12).
E os encarnados galvanizaram-se ainda mais quando Ivo Casas conseguiu somar um ponto com um toque subtil.
Os adeptos dos maiatos puxaram pela equipa e um bloco de Flávio Cruz/Cveticanin e um ataque falhado pelo Benfica aproximaram as duas equipas (17-15), motivando o toque a reunir por parte de José Jardim. E nova falha ofensiva colou as equipas (17-16).
O terceiro ataque consecutivo falhado pelos campeões nacionais manteve a distãncia (18-17).
Foi novamente o capitão Hugo Gaspar a afastar o perigo, com dois pontos consecutivos (21-17).
Rui Pedro Silva pediu tempo, tentando estancar a hemorragia pontual, mas três erros dos seus jogadores no ataque desmotivaram ainda mais a equipa (24-17) e Roberto Reis desferiu o golpe de misericórdia: 25-17.

No quarto set, e com Lourenço Martins a servir e Cveticanin a complementar a manobra ofensiva da sua equipa, o Castêlo logrou chegar aos 6-4 e, pouco depois, em vantagem ao primeiro tempo técnico (8-7).
Não obstante, o SL Benfica conseguiu passar para a frente (11-10, 13-11), e com dois pontos consecutivos de Hugo Gaspar e um erro no ataque dos maiatos, engordar a vantagem (16-12).
Roberto Reis fez o 19-14, obrigando Rui Pedro Silva a mexer na equipa, mas Ivan Kolev voltou a facturar para os encarnados (20-14).
Uma falha no contra-ataque maiato e um serviço directo de Roberto Reis tornaram tudo ainda mais difícil (22-14). E Kolev, com um amorti, tornou a missão impossível (23-14).
O Castêlo ainda recuperou pontos (24-17), obrigando José Jardim a reunir com os seus jogadores para baixar os níveis de ansiedade, mas a vitória não fugiu aos titulares da Taça: 25-17.

Hugo Gaspar, com 23 pontos, foi o melhor pontuador do jogo, enquanto Filip Cveticanin, com 11 pontos, foi o melhor pontuador dos maiatos.

A Final a quatro da Taça de Portugal disputa-se no Pavilhão Jorge Galamba Marques, na Figueira da Foz, sendo organizada pela Federação Portuguesa de Voleibol, com a colaboração da Câmara Municipal da Figueira da Foz e o apoio da Junta de Freguesia de Buarcos e São Julião e da Associação de Voleibol de Coimbra.

Hoje

15h00 – SL Benfica x Castelo da Maia GC, 3-1
17h30
– AJ Fonte Bastardo x SC Caldas
 

Dia 13.03.2016

Final - 15h00 (Sport TV)

Resultados das últimas oito finais
2015 – SL Benfica x SC Espinho, 3-0
2104 – Castelo da Maia GC x AJF Bastardo, 3-2
2013 – AJF Bastardo x Vitória SC, 3-0
2012 – SL Benfica x AA Espinho, 3-1
2011 – SL Benfica x SC Espinho, 3-0
2010 – Castelo da Maia GC x SL Benfica, 3-1
2009 – Vitória SC x SC Espinho, 3-2
2008 – SC Espinho x Vitória SC, 3-0
2007 – SL Benfica x Castelo da Maia GC, 3-0
 

Mais informações: Competição / Taça de Portugal - masculinos

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS