03 OUTUBRO-2015
ATLÉTICO VOLEIBOL CLUBE ERGUE A SUPERTAÇA
EM NOITE HISTÓRICA DO VOLEIBOL FEMININO
 

Passaram 15 anos desde a última disputa pelo troféu que marca o início da época desportiva. No Pavilhão Municipal de Vila Flor, a expectativa era grande em torno deste confronto que opôs as equipas do Porto Vólei 2014 e do Atlético Voleibol Clube, e que deu a conhecer o sucessor do Boavista Futebol Clube, dono da última Supertaça, disputada na época 2000/2001: o AVC, com o resultado de 3-0 (25-21, 25-17 e 25-21). [Ver ficha de jogo aqui]

Como se previa, o set inaugural pautou-se pelo equilíbrio, apesar de algumas mudanças de liderança no marcador – o Porto Vólei chegou a dispor de uma vantagem de 4 pontos – as famalicenses souberam reagir a este ímpeto inicial das portuenses, mantendo-se em jogo e anulando todas as investidas das adversárias, chegando mesmo à liderança numa fase crucial, com ataques concretizados por Ana Monteiro e Juliana Rosas, o que permitiu à turma de Óscar Barros ganhar vantagem (20-24).
O set seria fechado com um bloco de Luana Gomes (21-25).

O segundo set começou novamente com bastante equilíbrio, cabendo à equipa do Porto a maior liderança (3-1 e 5-3), mas seria a turma do Atlético a chegar à frente no tempo técnico, fruto de um bloco de Luana Gomes (7-8), o que viria a desestabilizar as portuenses, pois de seguida permitiram ao Atlético VC usufruir de uma vantagem de 5 pontos (8-13), obrigando Manuel Almeida a pedir desconto de tempo. Fez bem a pausa à equipa do Porto que conseguiria reduzir a desvantagem para 2 pontos (11-13 e 13-15) fruto de ataques de Vanessa Paquete e Marta Hurst, mas um ataque de primeira por parte de Juliana Rosas daria novo ânimo às famalicenses, que construíram uma vantagem alicerçada na experiente jogadora (14-22).
O segundo set terminaria com um serviço na rede e colocaria o Atlético VC no comando das operações (17-25).

O Porto Vólei entrou no terceiro set ferido no seu orgulho, e sabendo que teria que dar tudo para evitar uma vitória do Atlético, logrou chegar ao primeiro tempo técnico na liderança (8-6).
Porém, a turma famalicense foi paciente e, aproveitando os erros do adversário, foi a pouco e pouco recuperando no marcador tendo mesmo chegado à vantagem na segunda pausa (14-16), alimentada pelos ataques de Juliana Rosas e Tânia Oliveira. O Porto Vólei reagiu e bem, com base no excelente serviço de Eliana Durão, mantendo o suspense até ao momento crítico, (21-21), altura em que Juliana Rosas, com dois ataques, e Vanessa Rodrigues, com um bloco, colocaram a turma de Famalicão com uma mão na Supertaça.
O ponto do jogo (25-21) foi concretizado por Juliana Rosas através de um bloco selando as contas da Supertaça 2015.


José Óscar Barros (treinador do AVC):
“É sempre discutível dizer o que prevíamos para este jogo, mas é verdade que o clube apostou numa grande equipa e num projecto a 3 anos e estávamos com os «tanques cheios» para esta partida, e nada melhor que dar o início com a conquista do primeiro troféu da época, mais ainda contra o campeão nacional em título que valorizou em muito a nossa vitória, o que nos dá ainda mais motivação para sermos uma equipa de topo. Esta é uma equipa de primeiras opções, muito ambiciosa com todas as jogadoras a estarem aqui de coração e juntamos a experiência à juventude. É dos melhores grupos com quem já tive o prazer de trabalhar”.

Manuel Almeida (treinador do Porto Vólei):
“Há um grande mérito da equipa do AVC, que já esperávamos apresentar-se muito forte, muito consistente no seu jogo. Penso também que houve algum demérito da nossa parte, pois cometemos erros que se pagam caros neste nível. Os sets foram equilibrados, mas não tivemos a consistência para sair por cima, fruto de alguma inexperiência de algumas jogadoras mais jovens. Esta equipa dá-me garantias de podermos fazer uma boa época
O objectivo principal mantém-se que é fazer evoluir ao máximo este grupo e mantê-lo para o futuro. Os títulos acabarão por aparecer se esse trabalho for bem feito”.

Autora de 16 pontos, Juliana Rosas foi a melhor pontuadora do jogo:
“Esta vitória deveu-se à garra e à vontade. Queríamos muito vencer este título, era o primeiro troféu da época, uma final, e as finais são para se vencer, o que nos serviu de motivação. Esta mudança é uma aposta.
Já fiz formação no AVC e gosto muito das pessoas que conduzem o clube. Temos os objectivos muito claros, temos uma grande equipa, bem reforçada e não consigo esconder o contentamento por ter ganho este título, até porque não havia Supertaça no feminino há 15 anos por isso é um título que pouca gente já teve o prazer de o conquistar. É um grande início de época.”

O Atlético Voleibol Clube confirma assim a forte aposta que fez neste defeso, conquistando, para já, a Supertaça. Pela maneira como o Porto Vólei se bateu, será seguro afirmar que teremos um grande campeonato pela frente que incia já no próximo fim-de-semana com a realização de um…Atlético VC x Porto Vólei.

Na lista dos vencedores deste troféu disputado pelas campeãs nacionais e pelas vencedoras da Taça de Portugal, o destaque vai para o Castelo da Maia GC, que, no seu historial, ergueu o troféu por seis vezes consecutivas. Seguem-se o Boavista FC, com três vitórias, e o Leixões SC e o CR Estrelas Avenida, com dois triunfos. O Atlético VC, com um, completa o leque de vencedores.

Mais informações: www.fpvoleibol.pt / www.facebook.com/fpvoleibol

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS