05-JULHO-2015
FINLÂNDIA MAIS FORTE
NA HORA DA DESPEDIDA

A Selecção Nacional precisava do apoio do público para tentar vencer a Finlândia por 3-0 ou 3-1 e assim assegurar a permanência no Grupo 2 da Liga Mundial 2016.
O público respondeu ao apelo e compareceu em número e entusiasmo no Pavilhão Desportivo Municipal da Póvoa de Varzim, ainda para mais quando soube que este seria o jogo da despedida do capitão João José, mas a Finlândia não ajudou à festa, jogando de forma determinada e irrepreensível, atitude que foi recompensada com o triunfo, merecido, por 3-1 (25-18, 25-20, 18-25 e 25-23).

No primeiro set, a Finlândia chegou a vencer ao primeiro tempo técnico por três pontos (8-5), diferença igual ao número de serviços falhados pelos portugueses...
O segundo serviço directo do distribuidor Eemi Tervaportti manteve a distãncia (10-6). Marco Ferreira, com o seu terceiro ponto no ataque, ainda reduziu, mas os nórdicos voltaram à carga (14-10) e, mais tarde, 17-13, com um serviço directo de Urpo Sivula.
Pouco depois, a diferença era já de seis pontos (21-15) e avolumou-se ainda mais (24-17), com Olli-Pekka Ojansivu a selar o triunfo da Finlândia com o resultado de 25-18.

O segundo set abriu com o terceiro serviço directo de Tervaportti. A Finlândia chegou aos 6-2. João José respondeu com um serviço directo (4-6), mas a equipa orientada por Tuomas Sammelvuo não se impressionou e atingiu o primeiro tempo técnico a vencer por 8-4. Valdir Sequeira reduziu (5-8) com um ataque e com um serviço (7-9).
Todavia, Ojansivu rubricava, com seu segundo serviço directo, o seu 12.º ponto no jogo (17-12). A Finlândia ainda aumentou a diferença (20-17, 23-15).
Alex, com um bloco, e Marco, um ataque, ainda reduziram (18-23), mas era tarde demais e a Finlândia venceu por 25-20, acabando com o sonho dos portugueses em permanecerem no Grupo 2.

Apesar disso, os portugueses não baixaram os braços e, no terceiro set, comandavam o marcador na paragem para o primeiro tempo técnico (8-5), resultado fixado com um bloco de Filip Cveticanin.
E coube a Marcel Gil fazer o resultado com que se atingiu o segundo tempo técnico (16-10).
Um serviço directo de Urpo Sivula deu a entender que a resistência dos finlandeses ainda não teria terminado (16-12).
Dois blocos individuais, de Miguel Tavares Rodrigues a Eleviss Krastins, e de Alex a Ojansivu (19-12) mostraram que quem acreditava nisso estava errado. Cveticanin fez o 22-14, Alex o 23-15. A Finlândia reagiu, por Ojinsivu (17-23), mas Marcel não perdeu a oportunidade de fechar o set a favor de Portugal com o resultado de 25-18.

No quarto set, a Selecção Nacional continuou a exibir-se a bom nível e Miguel Rodrigues, com um ataque ao segundo toque, deu vantagem aos lusitanos à chegada ao primeiro tempo técnico (8-5). E o distribuidor português fez o 11-7, com mais um ataque, desta vez ao primeiro toque, após «solicitação» do libero finlandês, Jesse Mantyla.
Mas os nórdicos rectificaram o erro com um «ás» de Ojansivu (13-13) e passaram para a liderança com um ponto de Sivula (15-14), jogador que voltou a facturar (18-15).
Alex fez, com alguma felicidade, o seu terceiro «ás» e igualou a partida (20-20) e, logo de seguida, Valdir colocou Portugal a vencer (21-20).
Três serviços falhados pelos portugueses e dois serviço directos de Tomi Rumpune deram a volta ao jogo: 25-23.

No final, Hugo Silva, Seleccioandor Nacional reconheceu:
"Andámos atrás do prejuízo. Não sabemos lidar com a pressão e quando ela deixa de estar presente, jogamos como no terceiro set, que espelha o que é o dia a dia e a qualidade do jogo que temos apresentado.
O que nos arrastou para esta pressão é a qualidade da recepção, que é muito má. Vamos sempre atrás do adversário, com margens de dois, três pontos. Melhorando a recepção, penso que esta equipa pode jogar sempre ao nível a que jogou no terceiro set.
O balanço não pode ser positivo, mas é bom lembrar que estávamos num grupo extremamente difícil e tivemos uma série de condicionantes, desde perder jogadores, utilizar jogadores condicionados fisicamente e estar a construir equipas com a saída de jogadores".

Tuomas Sammelvuo, Treinador da Finlândia, salentou:
"Temos de estar satisfeitos com as duas vitórias conseguidas em Portugal. Mostraram que temos jogadores fantásticos, apesar de esta Liga Mundial não nos ter corrido nada bem.
Agora, vamos descansar e preparar o Campeonato da Europa".

Eemi Tervaportti, distribuidor da Finlândia:
"O nosso objectivo era conseguir uma vitória e concretizámo-lo no jogo de ontem. Hoje, estivemos relaxados, sem pressão, e ganhámos os dois primeiros sets à vontade e, depois, no quarto concretizámos a vitória".

Ojansivu, com 23 pontos, e Alexandre Ferreira, com 22 pontos, foram os melhores pontuadores.

Portugal

Nome

Posição

DN

Clube

Ivo Casas Libero 21.09.92 SL Benfica
Marcel Gil Central 08.05.90 Beauvais (FRA)
João Oliveira Zona 4 31.07.95 SL Benfica
Miguel Rodrigues Distribuidor 02.03.93 Piacenza (ITA)
Filip Cveticanin Central 19.06.96 Castelo da Maia GC
João José Central 07.06.78 AJ Fonte do Bastardo
Tiago Violas Distribuidor 27.03.89 AJF Bastardo
Marco Ferreira Oposto 04.10.87 SC Espinho
Valdir Sequeira Oposto / Z4 22.11.81 SC Espinho
João Fidalgo Libero 02.11.86 AJF Bastardo
Alexandre Ferreira Zona 4 13.11.91 Ziraat Bankasi (TUR)
Fabrício Silva Central 24.10.81 SL Benfica
Chefe da Delegação: António Sá
Treinador Principal: Hugo Silva
Treinador Adjunto: Carlos Prata
Preparador Físico: Mário Simões
Médico: Carlos Magalhães
Scouter: Ricardo Rocha
Fisioterapeuta: Diogo Barata

Contactos

Hotel
Axis Vermar

Rua da Imprensa Regional, Póvoa de Varzim
Tel: 252 298 900
Fax: 252 298 901

Pavilhão Desportivo Municipal da Póvoa de Varzim
Tel: 252 681 909
Fax: 252 683 536

Mais informações: www.facebook.com/fpvoleibol / www.fivb.com / www.fpvoleibol.pt/WL2015

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS