04-JULHO-2015
PORTUGAL x FINLÂNDIA
DE AMANHÃ É DECISIVO

A Finlândia fez hoje o que lhe competia: assegurou o terceiro lugar e, como bónus, venceu Portugal num encontro muito disputado (3-2: 25-17, 22-25, 25-17, 24-26 e 15-13), que revelou, por vezes, a ansiedade que os jogadores tinham à flor da pele devido à importância do que estava em jogo.
Por seu turno, a Selecção Nacional continua a depender de si própria: somou um ponto e se vencer, por 3-0 ou 3-1, amanhã (17h00) assegura a presença no Grupo 2 da próxima edição da World League.
Denotando algum nervosismo, Portugal começou por abrir mão da luta pela vitória no set inaugural demasiado cedo, tendo estado a perder por valores muito pesados, mas rectificou a situação no segundo set e voltou a entrar na luta...

O primeiro set não teve história. Sem nada a perder, os finlandeses entraram a matar (5-0) e, aproveitando o nervosismo e alguma desorientação dos portugueses, ergueram uma barragem pontual praticamente impossível de anular (12-3).
A perder por 7-16 no segundo tempo técnico, a equipa orientada por Hugo Silva conseguiu respirar fundo, arregaçou as mangas e entregou-se à recuperação (10-16).
Mas a Finlândia controlava as operações e foi com naturalidade e confiança que caminhou imparável (22-13) rumo ao triunfo por 25-17, selado com um serviço falhado por Portugal.

No segundo set, bem mais equilibrado, Portugal liderou o marcador até ao primeiro tempo técnico, fazendo o 8-7 com um bloco do distribuidor Miguel Tavares Rodrigues.
Dois pontos consecutivos de Alexandre Ferreira, no ataque e no serviço, deram alguma margem de manobra aos portugueses (12-9). Um ataque concretizado pelo seu irmão Marco aumentou a distância (14-10), obrigando Tuomas Sammelvuo a reunir as hostes finlandesas.
Portugal logrou atingir a segunda paragem obrigatória ainda em vantagem (16-13), beneficiando de um serviço desperdiçado pelo capitão finlandês, Antti Siltalla.
Alex fez o 19-15 após um ponto muito disputado e que terá enervado Urpo Sivula (20-16)... E o camisola 6 da Selecção Nacional voltou à carga e aumentou a contagem (23-18).
A reacção dos nórdicos fustigou a defesa lusitana (23-22), mas um bloco de Fabrício Silva (Kibinho) e um serviço directo de João Oliveira colocaram um ponto final no set: 25-22.

O equilíbrio manteve-se no terceiro parcial (5-5), embora a Finlândia tenha atingido o primeiro tempo técnico na liderança do marcador (8-6), após um serviço falhado pelos portugueses.
Portugal assaltou a liderança através do 7.º ponto individual no ataque de João José (9-8), mas seis pontos consecutivos catapultaram a Finlândia novamente para a frente do marcador (14-9).
E assim continuou (18-12), apesar dos incentivos do público e das defesas do libero João Fidalgo. Resultado: 25-17... e novamente com um serviço falhado pelos locais.

O quarto set começou bem para a turma das quinas (8-5). Um ataque explosivo de Alex desde a segunda linha e mais um bloco de Kibinho empolgaram o público (12-8).
Sammelvuo reuniu com os seus jogadores e a quebra no jogo surtiu efeito, já que os nórdicos igualaram através de dois blocos consecutivos e passaram para a frente com um serviço directo (13-12).
Foi a vez de Portugal reagir e fazer o 15-13 com um bloco de Alex Ferreira. e o 18-15 no seguimento de um cartão vermelho mostrado a Olli-Pekka Ojansivu, jogador que passou o jogo a espicaçar os portugueses.
Um serviço directo do distribuidor Eemi Tervaportti - sétimo da Finlândia - equilibrou a contenda num momento decisivo (19-18).
Alex e Kibinho, no ataque, fizeram o 23-19 serviço directo de Ojansivu e um bloco de Sauli Sinkkonen igualaram, mas Alex, assinou o seu terceiro serviço directo e selou o triunfo por 26-24.

Na «negra», os finlandeses chegaram-se à frente (3-1), mas Marco igualou com um serviço directo (5-5).
A Finlândia acelerou o seu jogo e distanciou-se (8-3, 10-4 e 13-6), mas a equipa nacional não desistiu e dois pontos de João José no ataque colocaram Portugal na luta (10-13).
A perder por 11-14, Portugal pouco mais podia fazer do que perder pela margem mínima: 13-15.

Olli-Pekka Ojansivu, com 27 pontos, e Urpo Sivula, com 22, foram os melhores pontuadores do jogo. Alexandre Ferreira, com 19 pontos, foi o português mais concretizador.

Hugo Silva, Seleccionador Nacional:
"A Finlândia veio cá para ganhar os dois jogos. Mesmo após ter conseguido vencer dois sets e assim assegurar um ponto e o terceiro lugar na poule, lutou com todas as forças pela vitória.
Estávamos conscientes do que aconteceu nos jogos que disputámos na Finlândia. Há esta picardia e rivalidade entre as duas selecções.
Estamos a jogar em desvantagem, pois estamos a jogar sob uma grande pressão e isso têm-nos penalizado ao longo da Liga Mundial, fazendo-nos perder pontos. Alguns jogadores não estão a saber lidar com esta pressão, pois não a vivenciam ao longo do ano e não é em mês e meio de trabalho que conseguimos pôr estes jogadores a saber lidar com o stress destes momentos. Isso tem de ser feito de uma forma gradual e estamos a conseguir. Independentemente do desfecho desta Liga, estou supercontente com a equipa. Fizemos coisas positivas, construímos uma equipa e daqui para a frente é continuar a trabalhar, pois a equipa está a dar uma excelente resposta e só temos de estar optimistas em relação ao futuro".

João José, Capitão de Portugal e autor de 15 pontos:
"Reagimos a um jogo não muito bem conseguido, principalmente na parte inicial, mas continuamos focados na obtenção dos três pontos no jogo de amanhã.
Para isso acontecer temos de eliminar os erros não forçados que cometemos. Tem sido sempre assim, o que nos tem dificultado o nosso jogo ao longo desta Liga Mundial.
Conseguimos diminuir esses erros e depois parece que acumulamos tudo para a mesma situação. O que faz com que uma vantagem de quatro cinco poucos se transforme numa desvantagem de três ou quatro pontos. É isso que aconteceu hoje. É o que tem acontecido ao longo dos jogos e aquilo que temos de evitar amanhã".

Tuomas Sammelvuo, Treinador da Finlândia, considerou:
"Estou satisfeito, pois assegurámos o terceiro lugar na Poule E. Nesta Liga Mundial, nem Portugal nem a Finlândia estiveram ao seu nível, mas acabámos por superar Portugal e cumprir com um dos nossos objectivos.
Estes últimos jogos são muito intensos e acho que as duas equipas deveriam refrear os ânimos dos seus jogadores.
Amanhã vamos lutar pelos três pontos".

Urpo Sivula, autor de 22 pontos:
"Obviamente, estamos contentes. Por termos conseguido manter o terceiro lugar e também porque, embora não tenhamos estado bem nalguns momentos do jogo, conseguimos dar a volta por cima e vencer".

Portugal

Nome

Posição

DN

Clube

Ivo Casas Libero 21.09.92 SL Benfica
Marcel Gil Central 08.05.90 Beauvais (FRA)
João Oliveira Zona 4 31.07.95 SL Benfica
Miguel Rodrigues Distribuidor 02.03.93 Piacenza (ITA)
Filip Cveticanin Central 19.06.96 Castelo da Maia GC
João José Central 07.06.78 AJ Fonte do Bastardo
Tiago Violas Distribuidor 27.03.89 AJF Bastardo
Marco Ferreira Oposto 04.10.87 SC Espinho
Valdir Sequeira Oposto / Z4 22.11.81 SC Espinho
João Fidalgo Libero 02.11.86 AJF Bastardo
Alexandre Ferreira Zona 4 13.11.91 Ziraat Bankasi (TUR)
Fabrício Silva Central 24.10.81 SL Benfica
Chefe da Delegação: António Sá
Treinador Principal: Hugo Silva
Treinador Adjunto: Carlos Prata
Preparador Físico: Mário Simões
Médico: Carlos Magalhães
Scouter: Ricardo Rocha
Fisioterapeuta: Diogo Barata

Contactos

Hotel
Axis Vermar

Rua da Imprensa Regional, Póvoa de Varzim
Tel: 252 298 900
Fax: 252 298 901

Pavilhão Desportivo Municipal da Póvoa de Varzim
Tel: 252 681 909
Fax: 252 683 536

Mais informações: www.facebook.com/fpvoleibol / www.fivb.com / www.fpvoleibol.pt/WL2015

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS