20-JUNHO-2015
PORTUGAL MOSTRA
GARRAS E RAÇA!

A Selecção Nacional de Seniores Masculinos conquistou hoje a sua primeira vitória na 26.ª edição da Liga Mundial ao derrotar, por 3-2 (15-25, 25-21, 25-23, 21-25 e 15-11), a Holanda, no MartiniPlaza de Groningen.
Uma vitória muito sofrida, é certo, mas igualmente merecida, pois Portugal mostrou, ao longo de quase todo o jogo - excepção feita ao set inaugural, em que esteve um pouco ausente... - raça, garra e grande espírito de entreajuda. Essas características que lhe são reconhecidas como selecção foram a base da atitude com que ultrapassou algumas contrariedade, como lesões ou decisões desfavoráveis da equipa de arbitragem, para além do poderio, no ataque e serviço, das torres holandesas.

A comitiva portuguesa tem a chegada ao Porto prevista para as 20h55 de amanhã, no voo TP 651. No próximo fim-de-semana, defronta a Bélgica na Póvoa de Varzim.

Antes do apito inicial, Wytze Kooistra, que foi 253 vezes internacional pela Holanda, foi alvo de uma justa homenagem.

Os momentos iniciais do set inaugural pautaram-se pelo equilíbrio (3-3) até os 5-6, altura em que Portugal deixou fugir o seu adversário (5-11). João Oliveira estancou a hemorragia pontual e Valdir fez um serviço directo, que o árbitro, na dúvida, assinalou como ponto nulo, desvanecendo-se aí uma eventual recuperação de Portugal...
A Holanda agradeceu e continuou a somar pontos, por intermédio de Kay Van Dijk e Dick Kooy (15-9). Um ataque falhado por Portugal deu aos locais uma pesada vantagem de sete pontos com que se atingiu o segundo tempo técnico (16-13).
Três serviços directos de Nimir Abled-Aziz (20-10) escancararam o caminho ao triunfo dos holandeses, carimbado no ataque por Dick Kooy, o melhor jogador no ataque, nesta altura: 25-15.

Pode-se dizer que Portugal entrou com o pé esquerdo no segundo set, já que Marco Ferreira se lesionou em choque com Kibinho, felizmente sem gravidade que impedisse o artilheiro e o central lusitanos de continuarem a dar o seu contributo em campo... porque os que estavam no banco eram incansáveis no apoio ao seis luso.
Dois ataques de João Oliveira deram vantagem a Portugal (7-5). Contudo, um ataque de Kay Van Dijk e um bloco de Thomas Koelewijn permitiram que a Holanda tomasse a dianteira (8-7).
Um bloco de Kibinho e um serviço de Marco Ferreira deram novamente a liderança aos portugueses (10-8).
O bom momento da Selecção Nacional desnorteou os holandeses (14-11) e Guido Vermeulen foi obrigado a intervir.
A paragem sossegou os holandeses - e o público - e Dick Kooy, com dois ataques, equilibrou a contenda (13-14), mas Marco Ferreira respondeu à altura num duelo que se adivinhava renhido entre estes dois atacantes (16-14).
João Oliveira, com um bloco individual ao gigante Kay Van Dijk (2,14 metros), aliado a um erro no ataque por parte dos hoandeses, aumentou a contagem (19-15).
Foi Dick Kooy, que com o seu 9.º ponto no ataque, travou a ofensiva. Mas João Oliveira não se impressionou e facturou o seu 5.º ponto no ataque (20-17).
Marco voltou a atacar com eficácia e o seu irmão Alexandre seguiu-lhe o exemplo no serviço e... Portugal ficou a uma bola do fecho (24-20).
A Holanda, apoiada pelo ruidoso público, tentou tudo, mas João Oliveira voltou a secar Ray Van Dijk com um bloco: 25-21.

A equipa da casa entrou em força no terceiro set (3-0).  Um ataque de Marco e dois serviços directos do seu irmão Alex igualaram a partida (3-3). E o 8.º ponto de Marco no ataque fez com que Portugal liderasse (4-3).
O equilíbrio manteve-se até perto do primeiro tempo técnico, ao qual a Holanda chegou em vantagem através de um ataque de Jeroen Rauwerdink (8-6).
Dois pontos de Kibinho deram a liderança a Portugal, mas Kooy voltou a equilibrar (10-10).
Neste jogo de parada e resposta, João Oliveira fez o seu terceiro bloco a Van Dijk (13-12).
Um serviço falhado por Nimir Abdel-Aziz, a estrela local, deu vantagem a Portugal na segunda paragem obrigatória (16-15).
Portugal jogava bem, mas os serviços falhados ditados pela ansiedade impediam que construísse vantagem e o parcial entrou na sua recta final com a Holanda na frente do marcador (20-19).
Filip Cveticanin igualou (20-20).
Kibinho fez o 23-21 e Marco o 24-21, cabendo a Kay Van Dijk, com um ataque para fora, selar o triunfo por 25-22... Assim não o entendeu o árbitro, que rectificou a sua decisão, considerando o ataque válido (24-23)...
Coube a Marco Ferreira, com o seu 11.º ponto no ataque, colocar justiça no resultado: 25-23.

No quarto set, e com o resultado em 2-3, os dois pontos dos portugueses tinham sido concretizados no ataque pelo jovem Cveticanin (19 anos), pouco impressionado com a altura das torres adversárias.
A igualdade chegou pouco depois (5-5) numa jogada muito protestada pelos anfitriões. E a liderança num serviço directo de João Oliveira (8-7).
Miguel Rodrigues fez o 10-8 e o 11-8 fixou o 12.º ponto no ataque de Marco Ferreira, igualando Kooy.
A Holanda reagiu com agressividade e Nimir fez um serviço directo (11-11), cabendo a
Jasper Diefenbach colocar a sua equipa na liderança (13-12). Marco igualou, no ataque (14-14), mas um «ás» de Niels Klapwijk, melhor pontuador da Liga Turca, permitiu a vantagem da Holanda no segundo tempo técnico (16-14).
Momentos volvidos, essa diferença era ainda maior, fruto da altura e da eficácia do bloco holandês (21-17), não estranhando a vitória da equipa de Guido Vermeulen por 25-21.

No quinto e derradeiro set, as decisões da arbitragem continuaram a ser controversas (0-2). Marco Ferreira fez o seu 14.º ponto no ataque (3-4) e um ataque falhado por Kooy a igualdade (5-5).
Bloco de Kibinho a Niels Klapwijk (8-7), mas mais um serviço directo (o sexto) de Nimir guindou a Holanda à liderança (9-8).
O comando do marcador foi recuperado com o 15.º ponto de Marco no ataque (11-10). Um bom serviço de Miguel foi secundado na rede por Alex (12-10) e por uma excelente defesa de João Fidalgo. Portugal vencia por três pontos (13-10) e Vermeulen enervava-se...
Debalde, já que seria o estreante Cverticanin a selar a sete chaves a (primeira) vitória de Portugal: 15-11.

Dick Kooy, autor de 20 pontos, foi o melhor pontuador do jogo, enquanto Marco Ferreira, com 16 pontos, foi o português mais concretizador.

Reacções de Hugo Silva, João José e Marco Ferreira a este jogo em www.facebook.com/fpvoleibol

Comitiva Portuguesa

Nome

Posição

DN

Clube

Ivo Casas Libero 21.09.92 SL Benfica
Marcel Gil Central 08.05.90 Beauvais (FRA)
João Oliveira Zona 4 31.07.95 SL Benfica
Miguel Rodrigues Distribuidor 02.03.93 Piacenza (ITA)
Filip Cveticanin Central 19.06.96 Castelo da Maia GC
João José Central 07.06.78 AJ Fonte do Bastardo
Tiago Violas Distribuidor 27.03.89 AJF Bastardo
Marco Ferreira Oposto 04.10.87 SC Espinho
Valdir Sequeira Oposto / Z4 22.11.81 SC Espinho
João Fidalgo Libero 02.11.86 AJF Bastardo
Alexandre Ferreira Zona 4 13.11.91 Ziraat Bankasi (TUR)
Fabrício Silva Central 24.10.81 SL Benfica
Chefe da Delegação: António Sá
Treinador Principal: Hugo Silva
Treinador Adjunto: Carlos Prata
Médico: Ricardo Aido
Scouter: Ricardo Rocha
Fisioterapeuta: Diogo Barata

Contactos

Hotel
Axis Vermar

Rua da Imprensa Regional, Póvoa de Varzim
Tel: 252 298 900
Fax: 252 298 901

Pavilhão Desportivo Municipal da Póvoa de Varzim
Tel: 252 681 909
Fax: 252 683 536

Hotel
Mercure Groningen

Tel: +31 050 202 9000

Pavilhão
MartiniPlaza Groningen

Tel: +31 050 5222 777

Mais informações: www.facebook.com/fpvoleibol / www.fivb.com / www.fpvoleibol.pt/WL2015

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS