27-SETEMBRO-2013
SL BENFICA ERGUE SUPERTAÇA 2013


A equipa de seniores masculinos do Sport Lisboa e Benfica ergueu hoje a Supertaça 2013, a terceira do seu historial, ao vencer, pela margem mínima (3-2: 25-21, 21-25, 25-16, 13-25 e 15-12) a Associação de Jovens da Fonte do Bastardo, na 15.ª edição da competição, disputada hoje no Pavilhão de Desportos de Vila do Conde, numa organização da Federação Portuguesa de Voleibol, com a colaboração da Câmara Municipal de Vila do Conde.

Apesar de ainda estarem no início da época e os erros ainda aparecerem amiúde, as duas equipas protagonizaram um bom espectáculo, dando a entender que o Campeonato Nacional vai ser muito (bem) disputado, e disso beneficiou o entusiástico público presente no Pavilhão de Desportos de Vila do Conde.

Sob a arbitragem de Vítor Gonçalves e Luís Meireles (AV Porto), as equipas alinharam:
SL Benfica – Roberto Reis, Fabrício Silva, Hugo Gaspar (cap.), Flávio Cruz, Flávio Soares e Ricardo Perini; João Coelho (libero); Miguel Rodrigues, João Magalhães, Joan Diaz (Ché), João Oliveira e Marc Honoré.
AJF Bastardo – Bruno Gonçalves, Lucas Gregoret, Peter Lundgren, João José, Caíque Silva e Gilson França; João Fidalgo (libero); Nuno Pereira e Miguel Meneses (cap.).

A 15.ª edição da Supertaça colocou frente a frente duas das mais fortes equipas do Voleibol português: o Sport Lisboa e Benfica, campeão nacional, e a Associação de Jovens da Fonte do Bastardo, vencedora da Taça de Portugal em 2012/2013.

Desde o apito inicial que começou a ser notório que ambas as equipas iriam fazer tudo para conquistar o troféu e que as suas forças se assemelhavam.
Igualdades constantes (2-2, 7-7 e 12-12) tornavam difícil apontar um favorito.
O SL Benfica adiantou-se (15-13), mas um bloco de Lucas Gregoret voltou a aproximar os açorianos e um ataque para fora dos lisboetas reequilibrou a contenda (15-15).
À entrada para a ponta final do set, as forças continuavam a equivaler-se (18-18).
Um ataque concretizado por Hugo Gaspar e dois erros ofensivos da AJF Bastardo deram uma preciosa vantagem aos campeões nacionais (21-18), mas Alexandre Afonso reuniu os seus jogadores, que reagiram prontamente à «ousadia» dos benfiquistas (20-21).
A equipa de José Jardim não acusou o golpe: manteve-se segura na recepção, acertou no ataque (23-20) e aproveitou os erros ofensivos do seu oponente para vencer o primeiro set por 25-21.

O SL Benfica pressionou logo desde os primeiros momentos no segundo set: dois serviços directos de Fabrício Silva (Kibinho) e um ataque de Flávio Cruz adiantaram os lisboetas no marcador (5-2).
Alexandre Afonso pediu um desconto de tempo, falou com os seus jogadores e a táctica surtiu efeito já que a AJF Bastardo igualou e passou para a frente do marcador (8-7).
Um bloco de João José a Roberto Reis deu uma vantagem de dois pontos ao AJF Bastardo e um ataque para fora dos encarnados colocou o resultado parcial em 12-9.
O SL Benfica reagiu (11-12), mas os açorianos não se deixaram intimidar e voltaram a pressionar com a sua defesa alta (15-12), tendo chegado ao fim do segundo tempo técnico com uma vantagem de dois pontos (16-14).
Nova igualdade (17-17) com um bloco a Lucas Gregoret da autoria de Kibinho, que logo de seguida deu a vantagem ao SL Benfica (18-17).
Apesar do equilíbrio ser uma constante, a AJF Bastardo entrou na recta final em vantagem (21-20). Gilson França fez o 23-21, obrigando José Jardim estancar a hemorragia pontual e a pedir para reunir com os seus jogadores. Debalde, já que o SL Benfica acusou demasiado nervosismo, abrindo caminho para Lucas Gregoret fazer o 24-21 no ataque. Transpirando confiança, foi com naturalidade que os açorianos selaram o set com o resultado de 25-21.

O SL Benfica entrou de rompante no terceiro set (7-1), obrigando o seu adversário a gastar dois pedidos de tempo, e chegou ao primeiro tempo técnico com uma clara vantagem (8-2).
A vencer por 11-3, após um ataque concretizado por Roberto Reis, o SL Benfica viu o seu adversário esboçar uma reacção (5-11, 6-13), mas manteve-se, imperturbável, na liderança do marcador (16-8).
Um serviço directo de Kibinho e logo de seguida um bloco de Zelão (19-8) pareciam ter quebrado de vez com a resistência dos açorianos, mas estes caíram de pé... Depois de terem estado a perder por 10-23, chegaram aos 15-23, para gáudio da sua entusiástica claque de apoio.
O capitão Hugo Gaspar selou o dique pontual (24-15) e os lisboetas puderam, finalmente, fechar o triunfo com o resultado de 25-16.

Mais consistente, o conjunto açoriano voltou a equilibrar as forças no quarto set, tendo atingido em vantagem a primeira vantagem obrigatória (8-7).
Um serviço directo de Lucas Gregoret deu ainda mais confiança aos açorianos (9-7), que pouco depois obrigavam José Jardim a fazer alterações na sua equipa (11-8).
Um serviço directo de Peter Lundgren (13-8) intranquilizou ainda mais as hostes encarnadas, que cometeram erros não-forçados e viram o seu adversário chegar com uma vantagem significativa ao segundo tempo técnico (16-9) e caminhar imparável (20-10) para a vitória desnivelada no set: 25-13, selada com um ponto de Gilson França.

No quinto e derradeiro set, o equilíbrio voltou a imperar (6-6), tendo sido preciso que os jogadores mais experientes começassem a fazer a diferença. Hugo Gaspar fez o 8-7... e o 9-7.
A AJF Bastardo atacou para fora (7-10) e Roberto Reis assinou o 11-8, mas Caíque Silva respondeu à altura (9-11).
Gaspar fez o 12-10, mas João José respondeu com o 11-12... e Gregoret com a igualdade (12-12), desfeita por Kibinho (13-12).
Tudo em aberto num set (e jogo) muito emotivo. Gaspar colocou o SL Benfica a um mero ponto da sua terceira Supertaça (14-12)... e Alexandre Afonso utilizou um pedido de tempo, tentando quebrar o ímpeto dos encarnados.

José Jardim, Treinador Principal do SL Benfica: "Não podemos dizer que jogámos bem. Tivemos períodos bons e outros maus, mas creio que as duas equipas valorizaram o espectáculo, bem secundadas por um público incansável no seu apoio.
A diferença é que o SL Benfica conseguiu manter um nível mais alto nos momentos decisivos. Apesar de tudo, acho que servimos muito bem no quinto set, embora tenhamos falhado na organização do ataque e desperdiçado algumas oportunidades de somar pontos mais cedo".

Hugo Gaspar: "Esta vitória sabe muito bem. Trabalhámos duro para este início de época para estarmos na máxima força possível nesta competição. Fizemos sobressair a união e o espírito de equipa, pois sabíamos que só assim conseguiríamos levar para casa esta Supertaça. Estivemos muito bem no quinto set e quero agradecer a todos os benfiquistas que aqui estiveram o apoio que nos dispensaram".

Alexandre Afonso, Treinador Principal da AJF Bastardo: "Foi um bom jogo entre duas das três grandes candidatas à vitória no Campeonato Nacional [AJF Bastardo, SL Benfica e SC Espinho].
Estou muito satisfeito com os meus jogadores. Temos três semanas e meia de trabalho, com alguns jogadores que chegaram este ano à equipa.
As equipas estão a evoluir e espero que a Fonte do Bastardo consiga evoluir mais do que a do Benfica e proporcionar sempre bons espectáculos".

Desde 1990/1991 até à actualidade, várias equipas de seniores masculinos rubricaram o seu nome na lista dos vencedores deste troféu que coloca frente a frente o campeão nacional e o vencedor da Taça de Portugal, com destaque para o Castelo da Maia GC, que, no seu historial, ergueu o troféu por cinco vezes, e para o SC Espinho, com 4 vitórias. SL Benfica e Sporting CP, com três triunfos,  completam o leque de vencedores [Ver historial da prova]

Mais informações: www.fpvoleibol.pt / www.facebook.com/fpvoleibol

 
PARTILHA ESTE ARTIGO NAS REDES SOCIAIS