10/4/2011  TAÇA DE PORTUGAL

Ao vencer pela margem máxima o CA Trofa

«CD Ribeirense ergue troféu pela 2.ª vez»

O Clube Desportivo Ribeirense ergueu hoje pela segunda vez no seu historial a Taça de Portugal de Seniores Femininos, ao vencer, por 3-0 (25/17, 25/20 e 26/24) o Clube Académico da Trofa, no Pavilhão Multiusos de Baião, na final organizada, sob a égide da Federação Portuguesa de Voleibol (FPV), pela Associação de Voleibol do Porto, com o apoio da Câmara Municipal de Baião. [Ver Ficha de jogo]
O jogo decisivo desta 39.ª edição da prova-rainha do Voleibol, dominado pelas açorianas, que ainda só perderam um jogo esta época, estando já apuradas para a final do Campeonato Nacional da Divisão A1, teve entrada livre e foi transmitido em directo pelo canal televisivo Sport TV, tendo sido seguido ainda através do sistema de live score na página oficial da FPV: www.fpvoleibol.pt.
A Final da Taça de Portugal de Seniores Masculinos, a realizar pelas 15h30 do dia 16 de Abril, será disputada pelo SC Espinho e pelo SL Benfica, no Pavilhão «Rota dos Móveis», em Lordelo, Paredes, organizada pela FPV, com a colaboração da AV Porto e o apoio da Câmara Municipal de Paredes.

O CD Ribeirense entrou em força no jogo. Os serviços agressivos de Hellen Abreu – um dos quais directo – colocavam a recepção das adversárias em dificuldades (4-0, 7-2) e disso se ressentia o ataque das trofenses. Não estranhou, por isso, que as açorianas atingissem o primeiro tempo técnico com uma vantagem de cinco pontos (8-3).
A paragem permitiu a reacção da equipa orientada por Manuel Barbosa, que reorganizou o seu jogo e se aproximou no marcador (6-8, 9-10). Contudo, o CD Ribeirense mostrava-se sempre mais forte no ataque, na defesa alta e, sobretudo, no serviço.
E foi um serviço directo de Amanda Menezes que voltou a afastar a equipa de Paulo Barreto (13-9), obrigando o CA Trofa a solicitar um pedido de tempo. Mas este não surtiu efeito porque as açorianas atingiram a segunda paragem obrigatória novamente com uma vantagem substancial (16-10), com o 16.º ponto a ser obtido através de mais um serviço directo de Hellen Abreu.
Um bloco de Jaciara Barreto (21-14) mostrou o caminho à vitória da formação açoriana, que selou o triunfo no set com um ataque de Kátia Oliveira (25-17).

O segundo set foi equilibrado apenas nos momentos iniciais (1-1, 2-2), já que o CD Ribeirense voltou a distanciar-se no marcador e atingiu o primeiro tempo técnico com uma vantagem razoável (8-4), que aproveitou para dilatar pouco depois (12-5).
Quando tudo parecia «facilitado» para as açorianas, o CA Trofa reagiu, e com força, aproximando-se perigosamente (9-12), com o 9.º ponto a ser obtido no bloco por Tamara Hoffmann. Mas o CD Ribeirense voltou a imprimir maior velocidade às suas acções ofensivas e Juliana Fernandes, com um ataque, colocou o resultado em 16-11.
Nova aproximação das trofenses (15-18), que chegaram a ameaçar mesmo de perto (18-20, serviço directo de Vanessa Rodrigues) as suas oponentes, mas não conseguiram impedir o triunfo do CD Ribeirense por 25/20, com um bloco de Jaciara Barreto.

O início do terceiro parcial foi totalmente dominado pelo CA Trofa. Mais determinadas, as pupilas de Manuel Barbosa cedo se adiantaram no marcador (3-2, 5-3), atingindo o primeiro tempo técnico com uma vantagem de quatro pontos (8-4), diferença que solidificaram pouco depois, através da boa visão de jogo de Vanessa Rodrigues (11-5).
A resposta do CD Ribeirense foi «dura» e eficaz e um bloco duplo (Jaciara Barreto e Juliana Fernandes) possibilitou a aproximação (8-11), ao que se seguiu a igualdade (12-12, com um ataque de Hellen Abreu).
A reacção pronta e enérgica deu novo fôlego às continentais (16-12), mas a resposta das açorianas voltou a colocar tudo em aberto (17-17). O CA Trofa, sob a batuta da sua capitã, Sara Souza, voltou a «fugir» (19-17, 20-18, 21-19), mas foi apanhado aos 21 pontos (21-21) e ultrapassado (23-22), assistindo-se então a um final de set muito disputado e que pendeu para o lado do CD Ribeirense (26-24).

Hellen Abreu, com 14 pontos, foi a melhor pontuadora do jogo, enquanto Sara Souza foi a melhor (11 pontos) no CA Trofa.

Paulo Barreto (Treinador do CD Ribeirense): "Temos uma equipa muito trabalhadora e que pensa sempre em evoluir. Hoje foi o coroar de uma época de trabalho na Taça de Portugal. Vamos «curtir» este momento e depois pensar no Campeonato Nacional".

Manuel Barbosa (Treinador do CA Trofa): "Podíamos ter vencido um set, mas seria muito difícil vencer o jogo, pois o CD Ribeirense foi superior. Mas estou orgulhoso, pois a equipa deu sempre o máximo, mesmo com as dificuldades que sentimos ao longo da época. Hoje, cometemos vários erros nos primeiros dois sets e pagámos caro por isso"

No total das 39 edições da Taça de Portugal, os títulos estão assim distribuídos: Castelo da Maia GC e Leixões SC (8); Boavista FC (7); CA Trofa (4), AC Portugal (3); Sporting CP, SL Benfica e CD Ribeirense (2), CS Madeira, CDUP e E. Avenida (1). [Ver historial].