HISTÓRIA DO VOLEIBOL INTERNACIONAL
DESDE A FUNDAÇÃO DA F.I.V.B.

 

A fundação da F.I.V.B.

Reunião dos fundadores da FIVBNos finais dos anos 30 já tudo se encontrava a postos para a fundação da F.I.V.B. (Fédération Internationale de Volleyball): contactos internacionais, grupos de estudo, mecanismos para unificar as regras do jogo.
O rebentar da II Guerra Mundial veio estragar os planos a todos estes pioneiros que foram obrigados a esperar pelo termo desta para assim conseguirem realizar o seu sonho.
O primeiro passo a ser tomado foi em 1945 com a unificação do Comité de Castellant e a Comissão de Libaud que sempre mantiveram o sonho de criar a F.I.V.B..
O passo fundamental deu-se em 26 de Agosto de 1946, no Brasserie Smichov em Praga, antiga Checoslováquia, durante uma reunião entre as delegações de três países: Checoslováquia (Mr. Havel), France (Mr. Libaud) e Polónia (Mr. Wirszyllo), que após uma consulta aos chefes de outros países, culminou com um rascunho dos documentos necessários à criação da dita F.I.V.B..
Esta Assembleia viria a reunir novamente um ano mais tarde em Paris graças ao apoio financeiro proporcionado por Jules Rimet, então Presidente do Comité Olímpico de França.

Assembleia em Praga, 1949Foi então que entre 18 e 20 de Abril de 1947 os Delegados de 14 países (Bélgica, Brasil, Checoslováquia, França, Holanda, Itália, Jugoslávia, Egipto, Roménia, Polónia, Portugal, Hungria, Uruguai e E.U.A.) reuniram no Grand Hotel, Paris, para acordarem a fundação da F.I.V.B.. Tudo decorreu num ambiente de grande emoção e alegria. Desde então o Voleibol tem vindo a sofrer algumas alterações, sendo actualmente cotado como um dos mais espectaculares desportos tanto para quem o vê como para quem o joga.


A história do Voleibol desde a fundação da F.I.V.B.

1947
Entre 18 e 20 de Abril, em Paris, 14 Federações Nacionais fundam a F.I.V.B. (Fédération Internationale de Volleyball) cuja sede fica situada em Paris. Paul Libaud, francês, é eleito Presidente.
As regras americanas e europeias existentes sobre este desporto chegam a um consenso. O terreno de jogo passa a medir 9 x 18 metros e a rede é colocada a 2,43 metros para os masculinos e a 2,24 metros para os femininos.

1949
O primeiro Campeonato do Mundo Masculino tem lugar em Praga.
A nova regra técnica de maior destaque é a do distribuidor poder passar da zona de defesa para a zona de ataque, passando a existir sempre três jogadores na linha de ataque.

Jogadores americanos na Nova Guiné, 19431951
No seu III Congresso, a F.I.V.B. decretou 2 novas regras: as mãos de um jogador atacante poderiam "invadir" o espaço aéreo da equipa adversária, mas apenas na fase final do acto de remate.
Um jogador da zona de defesa pode agora também atacar.

1953
O Congresso da F.I.V.B. define detalhes relativamente às acções dos árbitros e terminologia a ser usada.

1954
Em Manila, Filipinas, é fundada a Confederação Asiática - o primeiro passo na unificação do Voleibol a nível mundial segundo a F.I.V.B..

1955
O Japão renuncia ao seu formato de jogo, 9 contra 9 e torna-se filiado da F.I.V.B., adoptando progressivamente as regras internacionais de jogo. O Voleibol mundial torna-se assim num único desporto a nível mundial.

1956
É publicada a 1ª edição do boletim oficial da F.I.V.B..
A França alberga o Campeonato Mundial Feminino e Masculino; pela 1ª vez estão representadas equipas dos quatro continentes.

1957, Torneio pré-olímpico em Sofia1957
A F.I.V.B. introduz o 2º árbitro enquanto a duração do 'tempo de desconto' passa de 1minuto para 30 segundos.
De 22 a 26 de Setembro e durante a 53ª reunião do Comité Olímpico Internacional em Sofia, Bulgária, A F.I.V.B. organiza no estádio de Spartak um torneio de exibição que contou com uma média de espectadores por jogo de 35.000.
A imediata aprovação por parte do C.O.I. foi decisiva para a inclusão do Voleibol Masculino no programa olímpico da XVII edição que teria lugar em Tóquio, em 1964.

1958
Os Checos, autênticos especialistas no gesto do bloco, introduzem um novo gesto na defesa - "bagger" - o qual é apresentado pela primeira vez no Campeonato da Europa em Praga.

1959
O Congresso da F.I.V.B. em Budapeste proíbe a "cortina" durante o serviço e limitou a falta por "invasão" do campo adversário a todo o pé.

1961
A ideia do Minivoleibol surge na Alemanha de Leste.

1962
Com a aproximação da data de realização dos Jogos Olímpicos, houve a necessidade de modificar a data do Campeonato Mundial. A partir deste ano esta prova viria a ser disputada alternadamente com os Jogos Olímpicos em anos pares (a única excepção deu-se no Campeonato Mundial Feminino em 1967).
O congresso do C.O.I. em Munique conclui com a inserção do Voleibol Feminino nos Jogos Olímpicos de 1964.

1963
É fundada a C.E.V. (Confederação Europeia de Voleibol).

1964
São estabelecidas novas regras para o bloco: é proíbida qualquer "invasão" do espaço aéreo, enquanto que passa a ser permitido um segundo toque na bola após o acto de bloco.
Entre 13 e 23 de Outubro, no Japão, o Voleibol dá os seus primeiros passos olímpicos.

1965
A polónia alberga a 1ª edição da Taça Mundial de Masculinos.

1968
No seu congresso na Cidade do México, a F.I.V.B. decide introduzir o uso de duas varetas (separadas por 9,40 metros) que delimita o espaço aéreo de jogo.

1969
A F.I.V.B. reconhece uma nova zona continental - NORCECA - que é constituída pelos países da América do Norte e Centro e as Caraíbas.
É estabelecida uma Comissão de Treinadores da F.I.V.B..

1971
É estabelecida a Comissão Médica e a Sub-Comissão de Minivoleibol.

1972
As 5 zonas continentais constituídas pela Europa, Ásia-Oceania, África, Norceca e América do Sul tornam-se oficialmente Confederações Continentais.

1973
Montevideo é o palco para a 1ª edição da Taça Mundial de Femininos.

1974
No congresso da F.I.V.B. na Cidade do México é decidido uma mudança em 2 regras que irá ter efeito a partir de 1976: as varetas laterais passarão a estar afastadas 9 metros e serão colocadas prependicularmente às linhas delimitadoras laterais do terreno de jogo.
São permitidos 3 toques na bola após o acto de bloco.

União Soviética-Itália, Campeonato Mundial, 19781977
O primeiro Campeonato Mundial de Juniores Masculinos e Femininos tem lugar no Brasil.

1980
São adoptadas 3 línguas oficiais para as regras do jogo: francês, inglês e espanhol.

1982
A pressão da bola é aumentada de 0,40 Kg/cm2 para 0,46 Kg/cm2.

1984
O 19º congresso da F.I.V.B. tem como ponto alto a eleição do seu novo presidente, o mexicano Rúben Acosta.
A habilidade do Brasil em efectuar serviços em suspensão nos Jogos Olímpicos de Los Angeles é de tal forma copiada que passa a fazer parte das técnicas básicas.
Passar a existir a regra que proíbe o bloco a um serviço.

1986
O Voleibol de Praia recebe o estatuto oficial de disciplina da F.I.V.B..

1987
Tem início a actividade a nível internacional do Voleibol de Praia da F.I.V.B..

1988
O congresso da F.I.V.B. em Seoul adopta o "Tie-break rally point system": no 5º set cada acção representa 1 ponto com um resultado final máximo de 17-16.
Tem início no Japão a edição da prova World Super Four organizada de 2 em 2 anos.

1989
Em Dubai (Masculinos) e no Brasil (Femininos) jogam-se as primeiras edições do Campeonato do Mundo de Cadetes.

Rússia-Cuba, Final Jogos Olímpicos, 19921990
A F.I.V.B. cria a World League. Uma competição itinerante e de milhares de dólares exclusiva para os masculinos e para os países que reunam as condições necessárias para haver cobertura televisiva e publicitária.

1992
Após os Jogos Olímpicos de Barcelona, as regras do "tie-break" são alteradas: é abolido o resultado máximo de 17-16. É agora necessária adquirir a vantagem de 2 pontos para obter a vitória, como acontece nos outros sets.

 


1993
Apenas 7 anos após ter obtido o reconhecimento da F.I.V.B., o Voleibol de Praia recebe do C.O.I. o passaporte oficial para os Jogos Olímpicos de Atlanta.
A F.I.V.B. cria o Grand Prix, prova equivalente à World League para os masculinos mas em versão exclusiva para os femininos.
Também neste ano surge a Grand Champions Cup, que alterna a sua realização em anos impares com a Taça Mundial.

1994
O congresso da F.I.V.B. em Atenas teve como resultado grandes alterações em nas regras que viriam a entrar em vigor a partir de 1 de Janeiro de 1995: o contacto com a bola pode ser feito com qualquer parte do corpo, incluindo os pés
A zona de serviço é alargada aos 9 metros da linha de fundo.
É eliminada a dupla falta aquando do 1º contacto com a bola vinda do campo adversário.
Faltas como tocar na rede ou invadir o campo do adversário são liberalizadas caso o jogador em causa não esteja no centro de acção.

Itália-Brasil, World Cup, 19951995
O Voleibol celebra o seu Centenário. Este acontecimento é registado em todo o mundo através de acontecimentos festivos, realização de torneios, e edições especiais de selos. Estas celebrações culminaram com a Gala do Centenário do Voleibol a 2 de Dezembro em Tóquio.
Ao mesmo tempo a F.I.V.B. lança o "World Plan 2001" que se destina a estimular e consequentemente desenvolver as actividades das Federações Nacionais.

1996
Pela 1ª vez o Voleibol recebe quatro medalhas de ouro olímpicas: Voleibol masculino e feminino e Voleibol de Praia masculino e feminino.
O congresso da F.I.V.B. em Atlanta aprova uma nova norma em favor da defesa: a pressão da bola é reduzida para 0,300 - 0,325 Kg/cm2.
A linha dos 3 metros é agora prolongada por uma linha em tracejado em cada lado do campo.
São agora permitidas defesas para além da linha divisória dos dois campos.
O pé do jogador pode tocar o lado do campo adversário desde que o pé se mantenha em contacto com a linha divisória de terreno de jogo.
As competições da World League e Grand Prix experimentam o "libero", um jogador especializado na defesa e recepção que apenas pode jogar na zona defensiva (nunca pode atacar), podendo substituir um colega seu sem limites de substituições.
A competição World Super Four recebe uma nova designação: Super Challenge.

World Series1997
A F.I.V.B. celebra o seu 50º aniversário. De 18 a 20 de Abril são agendadas comemorações oficiais em Lausanne, Suiça (sede oficial).
O número de afiliados na F.I.V.B. cresceu desde os originais 14 para 213.
A F.I.V.B. encontra-se em estudo de possíveis regras de alteração do tempo de duração dos jogos de Voleibol.
O Voleibol aposta fortemente em conquistar o mercado televisivo para o terceiro milénio.

 

1998
O Campeonato do Mundo de Voleibol, em masculinos e femininos, foi organizado pela primeira vez no Japão, naquele que foi considerado o melhor campeonato na história do Voleibol.

O Campeonato do Mundo do Japão percorreu 14 cidades, com mais de 500 000 espectadores e a melhor taxa de audiência televisiva desde os Jogos Olímpicos de 1964. A Itália, liderada por Giani e Gardini fez história com a sua terceira vitória consecutiva no Campeonato do Mundo, ao vencer a formação da Jugoslávia. Na competição feminina a Selecção Cubana, com Regla Torres em grande plano, ganhou a sua terceira medalha de ouro, ao bater na final a Rússia.

O Congresso Mundial da FIVB, realizado em 1998, no Japão aprovou uma mudança histórica nas regras de Voleibol ao adoptar o "Rally Point Sistem" de 25 pontos por set, com as partidas a serem disputadas à melhor de cinco, com o quinto set a chegar até aos 15 pontos. Todos os sets continuam a ter sempre que ser decididos por uma diferença de dois pontos. 

Outras mudanças foram imediatamente aprovadas: 
- A cor da bola 
- A introdução nas partidas de um novo jogador, o libero, que tem como funções, não lhe é permitido atacar e pode substituir qualquer jogador em qualquer situação de jogo 
- Os treinadores podem, a partir de 1998, sempre que quiserem chamar a atenção dos jogadores e assistir às partidas de pé. Foi a chamada interactividade dos treinadores 

2000
A Selecção Italiana venceu pela oitava vez a World League (em 11 edições) ao bater na final a equipa Russa.

Nos Jogos Olímpicos de Sydney, em masculinos, a Itália perdeu a medalha de ouro frente à Selecção Jugosláva. Em femininos Cuba conseguiu a terceira medalha de ouro consecutiva (record olímpico) ao bater por 3/2, numa partida bastante emocionante, a equipa Russa.

Após o grande sucesso do Voleibol de Praia durante os Jogos Olímpicos de Sydney além da enorme assistência aos jogos, quer de espectadores, quer televisiva, o Comité Executivo do Comité Olímpico Internacional decidiu que o Voleibol de Praia passaria a fazer parte do programa olímpico.

Em masculinos, a dupla norte-americana composta por Dain Blanton e Eric Fonoimoana venceu os Jogos Olímpicos de Sydney ao bater na final o brasileiros Zé Marco e Ricardo Santos. Em femininos as australianas, Natalie Cook e Kerri Pottharst venceram a equipa do Brasil, Shelda Belde e Adriana Behar.

Com o final do século a FIVB decidiu galardoar os seguintes jogadores, equipas e técnicos como os melhores do Sec. XX: 
- Melhor jogador: Karch Kiraly (EUA) 
- Melhor jogadora: Regla Torres (CUB) 
- Melhor equipa masculina: Itália de 1990 a 1998 
- Melhor equipa feminina: Japão de 1960 a 1965 
- Melhor treinador de uma equipa masculina: Yasutaka Matsudaira que orientou a Selecção do Japão de 1964 a 1974 
- Melhor treinador de uma equipa feminina: Eugenio George que orientou a Selecção Cubana de 1990 a 2000 

2002
No Campeonato do Mundo Masculino, realizado na Argentina, o Brasil ganhou a primeira medalha de ouro nestes campeonatos ao vencer na Final a Selecção da Rússia, num jogo bastante disputado, por 3/2. Em Femininos a competição desenrolou-se na Alemanha, e a equipa vencedora foi um pouco surpreendentemente a Itália (que também venceu pela primeira vez um Campeonato do Mundo) ao vencer os EUA.

Em 2002 realizou-se o XXVIII Congresso da FIVB, em Buenos Aires na Argentina. No que diz respeito ao nosso País a decisão mais importante desse Congresso foi a escolha do Prof. Vicente Araújo (Presidente da Federação Portuguesa de Voleibol) para integrar o Conselho Executivo da FIVB, sendo por isso um dos vice-presidentes, o Grupo de Trabalho do Volleyball World Vision 2008 - um ambicioso programa que vai determinar o futuro da modalidade nos próximos anos -, e para as funções de Secretário da Comissão Técnica (da qual já era membro), tendo sido ainda reeleito para o Conselho de Administração da FIVB, cargos que junta aos de membro da Conselho Mundial e do Conselho Permanente de Voleibol de Praia.

Para além do Prof. Vicente Araújo, outros destacados elementos da Federação Portuguesa de Voleibol irão exercer cargos de elevada importância e responsabilidade: 
- Teodemiro de Carvalho, nas Regras de Jogo 
- João Nuno Ferreira que continuará a fazer parte da Comissão Financeira 
- José Casanova que também continuará a fazer parte do Conselho Permanente do Voleibol de Praia e da Conselho Mundial

Rubén Acosta foi reeleito presidente da Federação Internacional de Voleibol para um mandato de mais quatro anos. 

Neste Congresso de Buenos Aires, ficou também decidido que Portugal seria o País anfitrião do Congresso Mundial, a ter lugar em 2004.

Quanto a mudanças de regras, no Voleibol de Praia, depois de se ter proposto no Congresso de 2000 ficou aprovado o sistema de Rally Point, ou seja todas as partidas serão jogadas à melhor de três sets, sendo os dois primeiros até 21 pontos e o tie-break até aos 15 pontos. Todos os sets terão de ser vencidos por uma diferença de dois pontos.

Outra nova regra nova no Voleibol de Praia é a redução do recinto de jogo, que agora passa a ter 8x16 metros, com um mínimo de 5 metros e um máximo de 6 metros de área livre em redor do recinto de jogo. 

2004
Portugal recebeu durante os dias 12 e 13 de Maio de 2004, o 29º Congresso Mundial da FIVB. Foi um grande orgulho, a exemplar organização deste Congresso, não só para a Federação Portuguesa de Voleibol, mas também para todos os portugueses que directa ou indirectamente se associaram a este grande evento, que decorreu no Sheraton Porto Hotel & Spa. 

Este Congresso ainda foi mais enaltecido com as presenças do Ex.mo Sr. Presidente da República Portuguesa, o Dr. Jorge Sampaio logo no primeiro dia do Congresso; o Secretário de Estado da Juventude e Desportos, Dr. Hermínio Loureiro no encerramento; o Dr. Manuel Moreira, Governador Civil da cidade do Porto; além do Comandante Vicente Moura, Presidente do Comité Olímpico de Portugal. 

Uma das primeiras medidas deste evento, foi o facto de Timor Leste ter sido recebido pela Família do Voleibol Internacional, durante a abertura do 29ª Congresso Mundial da FIVB, já que este considerou que o País do Sudoeste Asiático, que tem uma população de menos de um milhão de habitantes, cumpriu todas as condições para pertencer ao organismo que superintende o Voleibol Mundial e assim tornar-se o 218º País ou território a pertencer à maior organização desportiva a nível mundial e um membro da Confederação Asiática de Voleibol. 

Outra das medidas deste 29º Congresso Mundial da FIVB foi o de concederem oficialmente também, a afiliação da FE.V.A. - Federação do Voleibol Argentino - como nova entidade reguladora do Voleibol e do Voleibol de Praia na Argentina. Esta decisão seguiu-se à expulsão definitiva da anterior Federação Nacional (F.A.V.), que estava suspensa das suas funções desde Maio de 2003. Isto veio a permitir a participação total da Federação do Voleibol Argentino em todas as competições internacionais. Foram também expulsos da FIVB Mario Goijman (antigo presidente da Federação Argentina) e Luis Moreno (antigo Presidente da Confederação Sul-Americana), devido a todo este processo. 

A necessidade de mudança na estratégia financeira ficou também patente nas palavras do Presidente da Federação Internacional de Voleibol, Dr. Rubén Acosta, que alertou para a importância de três mercados-chave: Os Estados Unidos da América, Reino Unido e Europa, onde "temos de construir uma imagem mais mediática do Voleibol nacional. Temos de fazer algo para mudar a situação onde o Voleibol é pouco visível. No programa World Vision 2012, cada Federação terá de apresentar os projectos que acha mais adequados ao seu País e, após informar a FIVB das suas intenções, receberá o nosso apoio - vamos ajudá-los, mas não o vamos fazer por vós". 

Em Atenas de 13 a 29 de Agosto decorreram os XXVIII Jogos Olímpicos. O grande vencedor em masculinos, tal como, em quase todas as grandes competições mundiais anteriores foi o Brasil, que bateu na final a Selecção Italiana por 3/1. Em femininos a China venceu pela segunda vez esta competição ao bater, numa final muito emocionante a Rússia por 3/2. 

Em Voleibol de Praia, nos Jogos Olímpicos em masculinos a dupla Ricardo / Emanuel venceu a medalha de ouro ao vencer os espanhóis Bosma / Herrera. Em femininos foram as americanas Walsh / May que bateram na final a dupla brasileira Adriana Behar / Shelda.


2005

Na World League Portugal alcançou neste ano um dos seus melhores resultados ao qualificar-se em 5.º lugar no ranking Mundial.

O Brasil foi vencedor, seguido da Sérvia & Montenegro e de Cuba.

No Japão em Novembro, de 22 a 27, realizou-se a Men's World Grand Champions Cup, cujo vencedor invicto foi o Brasil, seguido dos Estados Unidos da América e da Itália.
Também no mesmo País, de 15 a 20 de Novembro, realizou-se a Women's World Grand Champions Cup, com o Brasil a terminar invicto, dos Estados Unidos da América e China.

Em Vizakhapatnam, na India, realizou-se o Campeonato do Mundo de Juniores Masculinos (Sub 21), de 6 a 14 de Agosto. A Rússia defrontou e venceu o Brasil na final, sendo a classificação a seguinte: 1.º Rússia; 2.º Brasil; 3.º Cuba; 4.º Holanda;

Em Ankara e Istanbul, na Turquia, de 23 a 31 de Julho, realizou-se o Campeonato do Mundo de Juniores Femininos (Sub 20). O Brasil defrontou e venceu na final a Sérvia & Montenegro, e a classificação foi: 1.º Brasil; 2.º Sérvia & Montenegro; 3.º China; 4.º Itália.

Na Argélia, de 24 de Agosto a 1 de Setembro, realizou-se o Campeonato do Mundo de Cadetes Masculinos (Youth Boys' Under 19 World Championship). Na final a Rússia venceu o Brasil, e a classificação foi a seguinte: 1.º Rússia; 2.º Brasil; 3.º Itália; 4.º Argentina.

Em Macau, de 23 a 31 de Julho, realizou-se o Campeonato do Mundo de Cadetes Femininos (2005 Youth Girls' Under 18 World Championships). Na final o Brasil venceu a Rússia, sendo a classificação final assim ordenada: 1.º Brasil; 2.º Rússia; 3.º Itália; 4.º USA.


2006

O XXX Congresso da FIVB, realizou-se em Tokyo, no Japão, de 23 a 25 de Outubro.
O Presidente da Federação Portuguesa de Voleibol (FPV), Prof. Vicente Araújo, foi reeleito membro do Conselho de Administração e Vice-Presidente do Comité Executivo, bem como Presidente da Comissão de Desenvolvimento da Federação Internacional de Voleibol (FIVB) neste Congresso.
Para além de Vicente Araújo, outros portugueses ocuparão cargos de elevada responsabilidade e importância no organismo que superintende o Voleibol a nível mundial: o Prof. Amílcar Saavedra (Director da FPV), que integrará a Comissão Técnica, e o Dr. João Nuno Ferreira, que deixa a Comissão Financeira para exercer as funções de Controlador Financeiro, cargo que o Presidente da FIVB, Dr. Rubén Acosta, destacou como uma importante resolução do 30.º Congresso Mundial.
Por seu turno, o Arq. José Casanova continua a ser membro do Comité Permanente do Conselho Mundial de Voleibol de Praia e da Comissão de Arbitragem.


A Liga Mundial, na qual Portugal participou, na Pool B, com Finlândia, Argentina e Brasil, teve na final como vencedores o Brasil. A classificação final foi: 1.º Brazil; 2.º França; 3.º Rússia; 4.º Bulgária.

No Japão de 17 de Novembro a 3 de Dezembro, realizou-se o Campeonato do Mundo de Seniores Masculinos. No final o Brasil venceu a Polónia, e manteve o ceptro já conquistado em 2002, na Argentina. O resultado final foi: 1.º Brasil; 2.º Polónia; 3.º Bulgária; 4.º Sérvia & Montenegro; 5.º Itália; 6.º França; 7.º Rússia.

Também no Japão de 31 de Outubro a 16 de Novembro, realizou-se o Campeonato do Mundo de Seniores Femininos. A Rússia foi a vencedora superiorizando-se na final ao Brasil. A classificação final ficou assim ordenada: 1.º Rússia; 2.º Brasil; 3.º Sérvia & Montenegro; 4.º Itália; 5.º China; 6.º Japão; 7.º Cuba.



2007

A Liga Mundial de Selecções da FIVB teve a sua fase final disputada em Katowice, na Polónia, de 11 a 15 de Julho, com a presença das seis selecções finalistas. Na final, o Brasil venceu a Rússia por 3-1. A classificação foi: 1.º Brasil; 2.º Rússia; 3.º USA; 4.º Polónia; 5.º Bulgária; 6.º França.

O Campeonato do Mundo de Juniores Masculinos de 2007 (Men’s Junior World Championship) disputou-se em Marrocos, nas cidades de Casablanca e Rabat de 7 a 15 de Julho. Nele participaram doze selecções, tendo na final o Brasil vencido a Rússia por 3-0. A classificação ficou assim ordenada: 1.º Brasil; 2.º Rússia; 3.º Irão; 4.º Itália; 5.º Argentina; 6.º Bulgária; 7.º USA.

Na Tailândia, na cidade de Nakhon Ratchasima, realizou-se de 20 a 27 de Julho, o Campeonato do Mundo de Juniores Femininos (Women’s Junior World Championship). Na final o Brasil venceu a China por 3-1. A classificação foi a seguinte: 1.º Brasil; 2.º China; 3.º Japão; 4.º USA; 5.º Itália; 6.º Ucrãnia; 7.º Alemanha.

O Campeonato do Mundo de Cadetes Masculinos (Boy’s Youth World Championship), realizou-se no México, nas cidades de Tijuana e Mexicali, de 15 a 26 de Agosto. Nele participaram dezasseis equipa. Na final, o Irão venceu a China por 3-2. A classificação foi a seguinte: 1.º Irão; 2.º China; 3.º França; 4.º Argentina; 5.º Polónia; 6.º Bélgica; 7.º Brasil.

Realizou-se também no México, de 31 de Julho a 11 de Agosto, nas cidades de Tijuana e Mexicali, o Campeonato do Mundo de Cadetes Femininos (Girl’s Youth World Championship). Com a participação de dezasseis equipas, na final China venceu a Turquia por 3 – 1. A classificação ficou assim ordenada: 1.º China; 2.º Turquia; 3.º Rússia; 4.º Serbia; 5.º Brasil; 6.º Bélgica; 7.º Japão.

A Taça do Mundo de Masculinos (FIVB Men's World Cup), realizou-se no Japão de 18 de Novembro a 2 de Dezembro, em várias cidades japonesas, terminando em Tóquio. As três primeiras classificadas apuravam-se para os Jogos Olímpicos de Pequim – 2008. O Brasil foi o vencedor tendo apenas sido derrotado pelos Estados Unidos da América. A classificação final foi: 1.º Brasil; 2.º Rússia; 3.º Bulgária; 4.º USA; 5.º Espanha; 6.º Porto Rico; 7.º Argentina.

Na Taça do Mundo de Femininos (FIVB Women's World Cup), disputada em várias cidades do Japão, de 2 a 14 de Novembro, a Itália foi a surpresa e grande vencedora. Assim, Itália, Brasil e USA apuraram-se directamente para os Jogos Olímpicos de Pequim. A classificação foi a seguinte: 1.º Itália; 2.º Brasil; 3.º USA; 4.º Cuba; 5.º Serbia; 6.º ia; 7.º Japão.


2008

O XXXI Congresso da FIVB realizou-se no Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, de 16 a 17 de Junho. Após 24 anos na Presidencial da FIVB, o Dr. Ruben Acosta, retirou-se e indicou o seu sucessor Mr. Jizhong Wei da China.

Este tornou-se o terceiro Presidente na história da FIVB e foi aprovado por aclamação no 31.º Congresso da FIVB no Dubai. O Dr. Wei, que será o Presidente até às eleições que se realizarão em 2012, imediatamente anunciou uma nova era de desenvolvimento para FIVB com uma incidência especial no apoio às federações nacionais e as confederações continentais nas suas actividades e no crescimento do Voleibol em todo o mundo.

A Comissão das Regras de Jogo da Federação Internacional de Voleibol (FIVB) definiu também novas regras que vão reger o Voleibol a nível mundial a partir da próxima época, as quais foram aprovadas no Congresso. Estas incluem o aumento, opcional, para 13 ou 14, do número de atletas na lista de jogadores que podem disputar uma competição de seniores organizada sob a égide da FIVB, bem como a inclusão, também opcional, de um segundo libero nas selecções que tenham mais de 12 jogadores, incluindo ainda modificações nas regras que dizem respeito à rede e à interferência dos jogadores.

A World League teve a fase final da prova, a realizar-se no Rio de Janeiro, no Brasil, de 23 a 27 de Julho. O Brasil grande favorito, perdeu nas meias-finais por 0-3, com os Estados Unidos da América, a surpresa e os vencedores da prova, ao superiorizarem-se à Sérvia por 3-1 na final. O ranking foi o seguinte: 1.º USA; 2.º Servia; 3.º Rússia; 4.º Brasil; 5.º Polónia; 6.º Japão; 7.º Bulgária.

O Torneio de Voleibol Masculino e Feminino dos XXIX Jogos Olímpicos de Pequim, decorreu entre 9 e 24 de Agosto. No masculino, os vencedores foram os Estados Unidos da América que até vencerem na final o Brasil por 3-1, tiveram de disputar duas verdadeiras finais antecipadas com a Sérvia e a Rússia (3-2). A classificação foi a seguinte: 1.º USA; 2.º Brasil; 3.º Rússia; 4.º Itália; 5.º Bulgária; 6.º Polónia; 7.º China; 8.º Sérvia; 9.º Alemanha.
No Torneio Olímpico feminino o Brasil foi o grande dominador, não perdendo um jogo, e apenas um set na final com os Estados Unidos da América. No final a classificação ficou assim ordenada: 1.º Brasil; 2.º USA; 3.º China; 4.º Cuba; 5.º Itália; 6.º Japão; 7.º Rússia; 8.º Sérvia; 9.º Kasaquistão.

No Torneio Olímpico de Voleibol de Praia Masculino e Feminino, que decorreu entre 9 e 22 de Agosto, as duplas dos Estados Unidos da América ocuparam o primeiro lugar do pódio e venceram as duas medalhas de ouro em disputa. No feminino, Walsh – May Treanor venceram por 2-0, a dupla chinesa sensação de Tian Jia – Wand. O ranking final por Países foi: 1.º USA; 2. º China; 3.º China; 4.º Brasil; 5.º Australia; 6.º Austria; 7.º Brasil; 8.º USA; 9.º Bélgica.
No torneio olímpico masculino, a dupla USA Rogers-Dalhausser venceu por 2-1, na final a dupla do Brasil Marcio Araujo-Fabio Luiz. O ranking por Países foi: 1.º USA; 2. º Brasil; 3.º Brasil; 4.º Geórgia; 5.º Austria; 6.º Alemanha; 7.º Holanda; 8.º USA; 9.º Australia.


2009

Aprovada pelo Conselho de Administração da FIVB, em Abril de 2009, foi criada a Beach Volleyball Continental Cup (Taça Continental de Voleibol de Praia), a qual se desenrolará em cada continente, bem como a FIVB Beach Volleyball World Cup. A primeira desenrolar-se-á durante três anos de 2010 a 2012, e será um percurso adicional de qualificação no Voleibol de Praia para os Jogos Olímpicos de 2012, para o qual se qualificarão as primeiras duplas masculinas e femininas de cada continente. A segunda permitirá ainda a disputa a nível mundial, para os segundos e terceiros classificados de cada continente, de mais duas vagas por género, a obter na FIVB Beach Volleyball World Cup Olympic Qualification .
A Taça Continental de Voleibol de Praia, realizar-se-á nos cinco continentes, e será uma competição complementar em relação às actuais provas SWATCH FIVB Worl Tour e SWATCH FIVB World Championship. Espera-se assim que o numero de Países participantes nestes eventos passe de 120, no presente para mais 150 no futuro.
Este ambicioso projecto visa ser um catalisador do desenvolvimento da modalidade a nível global e é uma parte de um conjunto de iniciativas da FIVB, no sentido de apoiar as Confederações e as Federações Nacionais, com maiores oportunidade para se envolverem mais nos eventos do Voleibol de Praia e do Voleibol em geral.

A Liga Mundial teve a sua fase final, em Belgrado, de 22 a 26 de Julho. O Brasil foi o vencedor, superiorizando-se à Servia, por 3-2, numa final muito competitiva. O ranking ficou assim ordenado: 1.º Brasil; 2.º Servia; 3.º Rússia; 4.º Cuba; 5.º Argentina; 6.º USA; 7.º Itália.

No Japão, nas cidades de Osaka e Nagoya, de 18 a 23 de Novembro, realizou-se a FIVB Men's Grand Champions Cup). O Brasil foi o vencedor após ter derrotado Cuba por 3-2, no primeiro jogo. A classificação foi: 1.º Brasil; 2.º Cuba; 3.º Japão; 4.º Polónia; 5.º Irão; 6.º Egito.

A FIVB Women's Grand Champions Cup, realizou-se também no Japão, em Tóquio e Fukuoka, de 10 a 15 de Novembro. A Itália, com alguma surpresa foi a vencedora, batendo a favorita Brasil, por 3-0. Na classificação o ranking foi: 1.º Itália; 2.º Brasil; 3.º Republica Dominicana; 4.º Japão; 5.º Coreia; 6.º Tailândia.

O Campeonato do Mundo de Juniores Masculinos, disputou-se em Pune, na Indía, de 31 de Julho a 9 de Agosto. O seu supervisor foi um português, Vicente Araújo, vice-presidente da FIVB. A final foi disputada entre o Brasil e Cuba, vencendo aquele por 3-2. O ranking final foi: 1.º Brasil; 2.º Cuba; 3.º Argentina; 4.º India; 5.º Russia; 6.º Bélgica; 7.º Irão; 8.º USA; 9.º Polónia; 10.º França.

No México, na cidade de Baja California, de 16 a 25 de Julho, decorreu o Campeonato do Mundo de Juniores Femininas. Com alguma surpresa, a Alemanha sagrou-se vencedora, ao derrotar na final a Republica Dominicana, por 3-0. A classificação foi a seguinte: 1.º Alemanha; 2.º Republica Dominicana; 3.º Brasil; 4.º Bulgaria; 5.º China Taipé; 6.º Holanda; 7.º Turquia; 8.º Mexico; 9.º Cuba; 10.º .

O Campeonato do Mundo de CadetesMasculinos (Boys Youth Volleyball World Championship), realizou-se em Itália, nas cidades de Jesolo e Bassano de Grapa, de 28 de Agosto a 6 de Setembro. Numa final equilibrada a Servia superou por 3 - 2 o Irão. O quadro classificativo ficou assim ordenado: 1.º Servia; 2.º Irão; 3.º Argentina; 4.º Rússia; 5.º Espanha; 6.º Tunísia; 7.º Índia; 8.º Itália; 9.º Brasil; 10.º USA.

Na Tailândia, na cidade de Nakhonratchasima, de 3 a 12 de Julho, decorreu o Campeonato do Mundo de Cadetes Femininas. O Brasil foi o vencedor, derrotando na final a Servia por 3-1. No ranking do Mundial: 1.º Brasil; 2.º Servia; 3.º Bélgica; 4.º Turquia; 5.º Japão; 6.º Peru; 7.º Tailândia; 8.º Itália; 9.º México; 10.º Alemanha.
O Campeonato do Mundo de Clubes Masculinos, decorreu em Doha, no Qatar de 3 a 8 de Novembro. O Trentino de itália, venceun na final por 3- 0, o Belchatow da Polónia. O ranking final foi: 1.º TRENTINO (ITA); 2.º PGE SKRA BELCHATOW (POL); 3.º ZENIT KAZAN (RUS); 4.º PAYAKAN (IRI).


2010

O XXXI Congresso da FIVB realizou-se em Roma, Itália, de 9 a 10 de Setembro. A antecedê-lo um workshop de formação sob o tema Managing a National Federation Towards Success, no qual o programa World Vision 2012 foi explanado às Federação de nível I e II. Um total «recorde» de 194 das 220 federações nacionais filiadas na Federação Internacional de Voleibol (FIVB) estiveram representadas no 1.º dia de trabalho do 32.º Congresso Mundial da FIVB. Esta é hoje uma das maiores instituições desportivas a nível mundial, desenvolvendo actividades que abrangem todos os continentes, pelo que a sua aposta no desenvolvimento é cada vez mais significativa.
A criação de um Centro de Desenvolvimento do Voleibol de Praia internacional, que terá a sua sede nos Emiratos Árabes Unidos, um novo logótipo, com uma imagem mais moderna e «universal», e uma aplicação made in FIVB para o iPhone, que permitirá que os adeptos do Voleibol em todo o mundo se mantenham em dia com as informações das actividades do organismo que rege a modalidade a nível mundial, são as novidades mais mediáticas que surgiram do Congresso. O Presidente da Federação Portuguesa de Voleibol, Vicente Araújo, na qualidade de Presidente da Comissão de Desenvolvimento da Federação Internacional de Voleibol (FIVB), apresentou a filosofia de desenvolvimento do Voleibol delineada pelo organismo que superintende a modalidade a nível mundial para os próximos anos.
Por último, Roma e Berlim foram as duas cidades confirmadas como locais de organização dos torneios de qualificação de seniores masculinos, em 2012, para os Jogos Olímpicos de Londres.

A FIVB investiu mais em desenvolvimento durante 2010 do que em qualquer outro ano da sua história através da atribuição de mais recursos financeiros para as Confederações, visando ajudar as federações nacionais. A chave por trás da nova iniciativa é um maior apoio para o desenvolvimento das bases do jogo, com o beneficiário, a longo prazo ser o Voleibol em todo o mundo.
Neste ano, a FIVB comprometeu-se a investir mais no desenvolvimento tanto financeiramente como em termos de recursos. Um fundo de desenvolvimento inovador, controlada pela FIVB, foi lançado para trabalhar em linha com o programa de Solidariedade Olímpica do COI, onde todos as Federações nacionais têm a oportunidade de propor projetos para financiamento através das suas Confederações Continentais.

Na fase final da Liga Mundial que se disputou em Cordoba, na Argentina, de 21 a 25 de Julho, o Brasil foi o vencedor, tornando-se o País com mais vitórias (9), na Liga Mundial. Na final, vitória do Brasil sobre a Rússia por 3-1. O ranking final foi: 1.º Brasil; 2.º Rússia; 3.º Servia; 4.º Cuba; 5.º Argentina; 6.º Itália.

Em Singapura, por iniciativa do Comité Olímpico Internacional, realizou-se a primeira edição dos Jogos Olímpicos da Juventude. Nos Torneios Olímpicos Masculinos ( Boys' Youth Olympic Games) e Femininos ( Girls' Youth Olympic Games), os vencedores foram respectivamente Cuba e a Bélgica. Nos masculinos Cuba bateu a Argentina por 3-1, na final, e a classificação do Torneio foi a seguinte: 1.º Cuba; 2.º Argentina; 3.º Rússia; 4.º Servia; 5.º Irão; 6.º R.D. Congo . Em femininos, a Bélgica bateu na final por 3 – 1, os Estados Unidos da América. O ranking foi o seguinte: 1,º Bélgica; 2.º USA; 3.º Peru; 4.º Japão; 5.º Egito; 6.º Singapura.

O Campeonato do Mundo de Seniores Masculinos, realizou-se de 25 de Setembro a 10 de Outubro, em Itália, sendo as finais em Roma. Nele participaram 24 equipas em 6 poules iniciais. O Brasil foi o vencedor, impondo-se na final a Cuba por 3 – 0. Já campeão em 2002 e 2006, o Brasil obteve o seu tricampeonato seguido. O ranking ficou assim ordenado: 1.º Brasil; 2.º Cuba; 3.º Servia; 4.º Itália; 5.º Rússia; 6.º USA; 7.º Bulgária; 8.º Alemanha; 9.º Argentina; 10.º Republica Checa; 11.º França; 12.º Espanha.


No Japão, de 20 de Outubro a 14 de Novembro, em várias cidades e com a final em Tóquio, realizou-se o Campeonato do Mundo de Seniores Femininos. No fim, reeditou-se a final de 2006, com o Brasil, equipa favorita, a perder de novo por 3-2 com a Rússia que renovou assim o seu título de 2006. A classificação final foi a seguinte: 1.º Rússia; 2.º Brasil; 3.º Japão; 4.º USA; 5.º Itália; 6.º Turquia; 7.º Alemanha; 8.º Servia; 9.º Polónia; 10.º China; 11.º Holanda; 12.º Cuba.

O Campeonato do Mundo de Clubes Masculinos, realizou-se no Qatar, em Doha, de 15 a 21 de Dezembro. Na final o Trentino de Itália, renovou a conquista do título do ano anterior, vencendo de novo o Belchatow por 3 – 1. O ranking foi o seguinte: 1.º Trentino (ITA); 2.º Belchatow (POL); Paykan (IRI); Bolivar (ARG).

Também no Qatar, em Doha, na mesma data do masculino, realizou-se o Campeonato Mundial de Clubes Femininos. O Fenerbahce da Turquia, mas com algumas das melhores jogadoras mundiais, foi o grande dominador. Na final venceu o Osasco do Brasil por 3 – 0. A classificação final foi: 1.º Fenerbahce (TUR); 2.º Sollys Osasco (BRA); 3.º Bergamo (ITA); 4.º Mirador (DOM)


2011

Na Liga Mundial, após a sua última participação Portugal regressou, competindo na Poule C com a Argentina, Servia e Finlândia.
Na fase final em Gdansk, na Polónia, de 6 a 10 de Julho, a Rússia venceu por 3 – 2 o Brasil, sagrando-se pela segunda vez vencedora desta competição. O quadro do ranking final foi o seguinte: 1.º Rússia; 2.º Brasil; 3.º Polónia; 4.º Argentina; 5.º Bulgaria; 6.º Itália; 7.º USA; 8.º Cuba; 9.º Servia; 10.º Finlândia; 11.º Alemanha; 12.º França; 13.º Coreia; 14.º Portugal .

O Campeonato do Mundo de Juniores Masculinos decorreu no Brasil, de 1 a 10 de Agosto, sendo a final disputada no Rio de Janeiro, no Maracanazinho, onde a Rússia bateu a Argentina por 3 – 2. No ranking final: 1.º Rússia; 2.º Argentina; 3.º Servia; 4.º USA; 5.º Brasil; 6.º Irão; 7.º Espanha; 8.º Índia; 9.º Bélgica; 10.º Alemanha.

No Peru, realizou-se na cidades de Trujillo e Lima, de 22 a 31 de Julho, o Campeonato do Mundo de Juniores Femininas. Um português, Presidente da FPV, Vicente Araújo, foi o supervisor da FIVB. Na final em Lima, a Itália foi a surpresa, ao vencer a favorita Brasil, por 3- 1, e conquistar assim, pela primeira vez o título Mundial. A classificação final foi a seguinte: 1.º Italy; 2.º Brasil; 3.º China; 4.º USA; 5.º R. Dominicana; 6.º Peru; 7.º Eslovénia; 8.º Bélgica; 9.º Polónia; 10.º Rússia.

O Campeonato do Mundo de Cadetes Masculinos disputou-se na Argentina, nas cidades de Almirante Brown e Bahía Blanca, de 19 a 28 de Agosto. Na final uma surpreendente Espanha que perdeu por 3 – 2, com a Servia, a qual renovou o título de 2009. No ranking da competição: 1.º Servia; 2.º Espanha; 3.º Cuba; 4.º França; 5.º Argentina; 6.º Bulgaria; 7.º Grécia; 8.º China; 9.º Brasil; 10.º Irão.

Na Turquia, de 12 a 21 d Agosto, disputou-se o Campeonato do Mundo de Cadetes Femininas. Em Ankara, na final, a Turquia foi uma certa surpresa ao impor-se por 3 – 0 à China, e vencer pela primeira vez um Mundial. No ranking final do Campeonato: 1.º Turquia: 2.º China; 3.º Servia; 4.º Polónia; 5.º Alemanha; 6.º Brasil; 7.º Japão; 8.º Argentina; 9.º USA; 10.º Eslováquia.