F.I.V.B. (FÉDÉRATION INTERNATIONALE DE VOLLEYBALL)
HISTÓRIA E OBJECTIVOS

 

FIVBA Federação Internacional de Voleibol (FIVB) é criada em 1947. O seu primeiro Congresso realiza-se em Paris de 18 a 20 de Abril e nele participam 14 Países: Bélgica, Brasil, Checoslováquia, França, Holanda, Israel, Itália, Líbano, Polónia, Portugal, Roménia, Turquia, Uruguai e Estados Unidos da América. Paul Libaud (Francês), é eleito como primeiro Presidente. O Congresso define os primeiros estatutos e regras, e procura harmonizar as regras do jogo americanas e europeias. São nomeadas duas Comissões, uma para "regras do jogo" e outra para a "arbitragem".

Roma 1948Em 1948, realiza-se o primeiro Campeonato Europeu de Seniores Masculinos, em Roma, com a presença de 6 Países: Bélgica, França, Holanda, Portugal, Itália e Checoslováquia.

No ano seguinte é a vez do 1º Campeonato do Mundo de Seniores Masculinos, em Praga, com a participação de 10 equipas, sendo o pódio ocupado pela ex-URSS, Checoslováquia e Bulgária. Realiza-se também o 2º Congresso da FIVB, em que as Regras Internacionais de Jogo são adoptadas. Em 1949, é realizado também o primeiro Campeonato Europeu de Seniores Femininos. A ex-URSS e a Checoslováquia ocupam os primeiros lugares.

De 17 a 22 de Agosto de 1952, realiza-se o 1º Campeonato do Mundo de Seniores Femininos, em Moscovo, com a participação de oito Países: Bulgária, França, Hungria, Índia, Polónia (2ª), Roménia, Checoslováquia (3ª) e URSS(1ª).

O Voleibol participa pela primeira vez nos Jogos Olímpicos de Tóquio – 1964. No Torneio Olímpico Masculino com dez equipas, o vencedor é a URSS. No Torneio Olímpico Feminino com oito equipas, o vencedor é o Japão.

A FIVB é hoje a federação internacional com mais federações nacionais filiadas: ultrapassou mesmo a federação de atletismo que durante longo tempo foi o organismo contando com o maior número de federações filiadas.

Paralelamente, o número de pessoas que praticam o Voleibol, aumentou também consideravelmente: de 500 milhões em 1986, para 800 milhões actualmente, dos quais 200 milhões são jogadores regularmente em actividade.

Para governar, gerir e orientar este movimento, a FIVB teve de melhorar a sua organização interior. Aumentaram assim, o número de Comissões: Organização Desportiva, Médica, Treinadores, Jurídica, Financeira, Leis do Jogo, Arbitragem, Gestão, Voleibol na Escola, Técnica, Mass Média, Conselhos Mundiais do Voleibol de Praia, do Grande Prémio Feminino e da Liga Mundial Masculina.

No Congresso da FIVB de 1995, realizado na Grécia, é apresentado o – Plano Mundial 2001 – cujos objectivos são:

  1. Pôr o Voleibol e o Beach Volley entre os maiores desportos a nível mundial, continental e nacional.

  2. Colocar o Voleibol e o Beach Volley entre os desportos mais interessantes da cena desportiva internacional como Desporto de Top para espectadores apoiado pelos média.

  3. Transformar as mais importantes competições de Voleibol e Beach Volley a nível nacional, continental e mundial, em eventos para os Media, fortemente televisionados e devidamente financiados por sponsors internacionais.

  4. Tornar cada Federação Nacional, Confederação e a própria FIVB, a curto prazo organizações extremamente profissionais, cada uma ao seu nível, com uma moderna, flexível e eficiente gestão.

  5. Aumentar o número de Países capazes de jogar ao Alto Nível de modo a apresentar um Voleibol mais competitivo, espectacular e atractivo.

É um plano ambicioso, que contém todas as estratégias susceptíveis de assegurar um novo desenvolvimento do Voleibol a nível mundial.

Pela primeira vez, uma Federação internacional decide planificar o seu futuro, empregando os mesmos critérios que os grandes organismos internacionais ou as multinacionais mais conhecidas.

A imagem do Voleibol em todo o mundo é muito positiva: é a imagem de um desporto jovem, espectacular, moderno, limpo, saudável, atractivo para os espectadores, os sponsors e as televisões. Isto é devido em grande parte ao desenvolvimento espectacular dos últimos anos. A FIVB, graças às manifestações de alto nível (World Cup, All Stars, Liga Mundial, Grande Prémio Feminino, Campeonatos Mundiais da Juventude), conseguiu dar a conhecer o Voleibol de alto nível a 600.000 espectadores e a 1.200 milhões de telespectadores.

O grande desenvolvimento do Voleibol de Praia, tornando-se uma disciplina capaz de interessar a um público muito numeroso em todas as latitudes, das praias junto ao mar, aos centros das grandes cidades em campos adaptados, não fez mais do que aumentar o interesse em relação ao Voleibol em geral.

A introdução desta disciplina no programa dos Jogos Olímpicos, é mais um passo suplementar para a FIVB, que lhe permitirá desenvolver a sua acção em todas as latitudes, em direcção do futuro, no âmbito do Plano Mundial 2001.