ESPANHOLAS E HOLANDESES DE OURO NO
I TORNEIO WEVZA

24-08-2014

As duplas Aida Etxebarria / Nerea Izagirre (Espanha) e Jasper Bouter / Jannes Van der Ham (Holanda) sagraram-se campeãs do I Torneio de Sub-21 em Voleibol de Praia, organizado pela Federação Portuguesa de Voleibol sob a égide da WEVZA, que terminou hoje na Praia da Ribeira, na Albufeira do Azibo, em Macedo de Cavaleiros.
Os prémios foram entregues aos vencedores por Carlos Cardoso, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros (CMMC), Helena Magalhães, Vereadora do Desporto da CMMC, e Henrique Gomes, Responsável pelo Departamento de Voleibol de Praia da FPV.

Aida e Nerea terminaram invictas um torneio que se pautou pela competitividade e qualidade tanto a nível desportivo como organizativo e, para alcançarem a medalha de ouro, venceram, na final, a dupla portuguesa Vanessa Paquete / Daniel Silva por 2-1: 15-21, 22-20 e 15-7.
"Estamos muito contentes com o primeiro lugar no torneio e satisfeitas com a nossa performance e com o facto de termos sido as primeiras campeãs nesta prova da WEVZA.
A dupla portuguesa é muito boa, difícil de enfrentar e complicou muito o nosso jogo na final, mas não desistimos e fomos recompensadas.
O nível da competição é bom e as duplas muito equilibradas. Gostámos muito de ter disputado este I Torneio da WEZA, ainda para mais num local com estas condições naturais".

Pedro Carvalho, treinador da dupla Paquete / Silva, salientou:
"Apesar da derrota, temos de estar satisfeitos com a nossa prestação. A Vanessa e a Dani fizeram um bom jogo. Tivemos oportunidade de fechar o segundo set a nosso favor, mas cometemos erros e falhámos o nosso objectivo. Estamos tristes pela derrota, mas o saldo é positivo. Fomos a única equipa que esteve prestes a vencer esta dupla espanhola, mas elas acabaram por ser mais fortes e temos de lhes dar os parabéns pela exibição.
As atletas ganham muita experiência neste tipo de torneios. Para além disso, foi muito bom a prova ter sido realizada aqui, na Albufeira do Azibo, que está ainda a criar tradição no Voleibol, mas que apresenta já um público muito interessado na modalidade. O espaço é magnífico e toda a gente nos apoiou e incentivou".

Final de masculinos ensaiou
Europeu de Sub-20

No torneio de masculinos, os holandeses venceram (2-0: 24-22 e 21-13) os portugueses Diogo Maia e Tomás Silva.
Estas duas duplas vão disputar o Campeonato da Europa de Sub-20, a realizar, de 4 a 7 de Setembro, em Itália.

O incansável Jasper Bouter juntou o título de campeão da WEVZA aos resultados obtidos este ano em três campeonatos mundiais: Sub-19 (4.º), no Porto, Sub-21 (17.º), em Lanarca, Chipre, e Sub-23 (41.º), em Myslowice, Polónia.

"Foi uma vitória difícil, mas saborosa, pois, como é óbvio, o público estava todo pelos portugueses. Foi a melhor forma de terminarmos este torneio, que me vai deixar boas recordações pois este local, com o lago, é muito aprazível e as pessoas são todas simpáticas.
Gostei muito de cá estar e, para além do título, foi uma excelente preparação para o Campeonato da Europa de Sub-20", confessou Jannes.

Diogo Maia e Tomás Silva foram vencidos mas não totalmente convencidos.
"A meia-final foi muito disputada e desgastou-nos muito. Estamos muito cansados e, como tal, não conseguimos dar o nosso máximo, mas sentimos que não desiludimos o público com a nossa entrega ao jogo e isso foi o mais importante.
A próxima competição é o Europeu de Sub-20 e vamos aproveitar a análise da nossa prestação neste torneio, sobretudo no jogo da final.
É difícil dizer se a medalha de ouro ficou bem entregue, pois com a nossa exibição de ontem frente a este mesmo adversário, e da forma condicionada como jogámos, acreditámos que era possível vencer o Torneio WEVZA. Creio que, hoje, o cansaço era igual para as duas equipas, mas eles são mais altos e utilizaram bem essa vantagem. Parabéns porque mostraram competência.
Gostávamos muito de ter vencido o torneio, mas o nosso objectivo era aproveitar esta experiência a um nível competitivo já razoável para preparamos a participação no Europeu de Sub-20 e creio que a análise destes jogos será muito útil para o trabalho que estamos a desenvolver com a nossa equipa técnica".

Holandesas e espanhóis de bronze

As holandesas Loladina Zwaanswijk e Marly Bak alcançaram a medalha de bronze ao vencerem (2-1: 17-21, 21-18, 15-9) as portuguesas Margarida Reis e Maria Tinoco.

"Estamos satisfeitas com o terceiro lugar, embora consideremos que poderíamos ter feito melhor no jogo das meias-finais [derrota por 1-2 (19-21, 21-15 e 6-15)], frente às espanholas.
Estes torneios são muito bons para prepararmos competições como Europeus ou Mundiais pois o nível dos atletas é já significativo.
Adoramos o local da prova [Albufeira do Azibo], que é muito bonito, e as pessoas, que são muito simpáticas.
A organização do torneio também está de parabéns, pois está tudo impecável", destacaram Loladina e Marly.

Em masculinos, os espanhóis Javier Huerta e Hugo Rojas superiorizaram-se, com dificuldade (2-0: 25-23 e 22-20) aos portugueses José Jardim e Bernardo Leite.

"Não podemos estar satisfeitos com o terceiro lugar. É verdade que o torneio é para Sub-21 e nós temos 19 anos e que o nível das duplas presentes é alto, mas queríamos mais. Vínhamos com essa ideia e entrámos muito bem no torneio... Foi pena, mas este torneio também serviu para analisarmos e corrigirmos os nossos erros.
De resto, tudo impecável, pois o Azibo é mesmo fantástico e é uma boa prova de que as competições de Voleibol de Praia não precisam de ser sempre em praias iguais umas às outras. Esta é diferente e temos aqui tudo aquilo que é preciso para o sucesso de uma competição".

Felipe Pascual, Supervisor da competição, mostrou-se satisfeito com a forma como decorreu a primeira edição do Torneio de Sub-21 da WEVZA.

O madrileno destacou os pontos fulcrais da realização de uma competição como esta, os seus aspectos mais sensíveis em termos competitivos e as repercussões que poderá ter no futuro do Voleibol de Praia do Velho Continente.

"O balanço é muito positivo. É a primeira vez que a WEVZA organiza uma competição desta categoria. É muito interessante pois permite que as equipas se preparem para o trabalho intensivo que está a ser desenvolvido pelos oito países que a compõem e igualmente para provas como o Campeonato da Europa ou do Mundo.
Os atletas estão muito contentes e expressaram já a sua satisfação, pois há muitos países que têm dificuldades em competir com frequência ao mais alto nível e estes torneios da WEVZA, disputados por duplas europeias já com certa experiência, possibilitam jogos interessantes, fornecendo a experiência necessária para dar um salto qualitativo.
Este torneio encaixa muito bem numa série de eventos internacionais de Voleibol de Praia. Esta primeira edição teve por palco esta belíssima região de Macedo de Cavaleiros e acredito que quando for realizado um dos outros países da WEVZA terá igualmente êxito.
Temos de ser os embaixadores do optimismo em relação ao futuro desta competição. Nos próximos anos a competição será disputadas em quatro ou cinco dias, com 24 duplas em representação dos oito países da WEVZA, e isso será muito importante tanto para a WEVZA como para a própria Confederação Europeia de Voleibol (CEV).
O que mais me marcou foi a experiência de todas as pessoas que compõem a organização. São todos incríveis e isso traduz-se logo na satisfação de atletas e na qualidade de organização. No que me diz respeito, sinto-me como se estivesse em casa".

WEVZA: Os primeiros passos

A WEVZA, que foi constituída no dia 26 de Setembro de 2013, integra oito países – Portugal, Espanha, Alemanha, Bélgica, Itália, Holanda, França e Suíça – e tem como Presidente o espanhol Agustín Martín Santos, Presidente da Real Federação Espanhola de Voleibol (RFEVB), e como Vice-Presidentes o português Vicente Araújo, Presidente da FPV, e o holandês Hans Nieukerke, Presidente da Federação Holandesa de Voleibol.

O objectivo primordial desta associação zonal é fortalecer e fomentar a organização de actividades desportivas, tanto de Voleibol como de Voleibol de Praia, com especial ênfase nas categorias de formação.

A Confederação Europeia de Voleibol (CEV) conta com seis associações zonais: a WEVZA (Europa Ocidental), a BVA (Balcãs), a EEVZA (Europa de Leste), a MEVZA (Europa Central), a NEVZA (Europa do Norte) e ainda a SCD (Divisão dos Pequenos Países), da qual fazem parte Andorra, Chipre, Ilhas Faroe, Gibraltar, Gronelândia, Islândia, Irlanda, Liechtenstein, Luxemburgo, Malta, Mónaco, Irlanda do Norte, San Marino, Escócia e País de Gales.

 


 

TORNEIO WEVZA: DUPLAS PORTUGUESAS NAS MEIAS-FINAIS
23-08-2014

As espanholas Aida Etxebarria e Nerea Izagirre confirmaram o seu favoritismo e chegaram ao final do primeiro dia de competição como a única equipa ainda invicta do I Torneio de Sub-21 em Voleibol de Praia organizado pela Federação Portuguesa de Voleibol no âmbito da WEVZA, que termina amanhã na Praia da Ribeira, na Albufeira do Azibo, em Macedo de Cavaleiros.
O torneio de masculinos foi marcado pela incerteza quanto aos semi-finalistas, algo que só foi apurado no último jogo...

As meias-finais de femininos estão assim agendadas:
09h00 – Etxebarria / Izagirre (ESP) x Zwaanswijk / Bak (HOL)
10h00 – Paquete / Silva (POR) x Reis / Tinoco (POR)

As meias-finais de masculinos estão assim agendadas:
11h00 – Huerta / Rojas (ESP) x Maia / Silva (POR)
12h00 – Leite / Jardim (POR) x Bouter / Van der Ham (HOL)

As finais serão disputadas às 15h00 (femininos) e 16h00 (masculinos). [Ver sites oficiais da competição e da WEVZA]

A superioridade das jovens bascas Aida e Nerea, ambas com 19 anos, foi evidente ao longo dos três primeiros jogos, mas, no último jogo do dia contaram com a forte oposição das suas adversárias, as portuguesas Vanessa Paquete e Daniela Silva.
"Disputar quatro jogos no mesmo dia é complicado. Estamos a atravessar um momento de boa forma e entrámos bem na competição, mas, depois, sentimos dificuldades frente à dupla portuguesa [Paquete / Silva], que, acreditamos, é uma das principais favoritas ao título de campeãs do Torneio da WEVZA. Estão bem entrosadas e parecem-se connosco, são muito rápidas. Amanhã é um novo dia, pelo que teremos de voltar a dar tudo para vencer.
Esta praia é preciosa, muito bonita e a envolvência é fantástica". [Ver fotos]

Margarida Reis e Maria Tinoco venceram (2-0: 21-19 e 21-13) as holandesas Loladina Zwaanswijk e Marly Bak e garantiram um lugar nas meias-finais, onde vão defrontar Vanessa Paquete e Daniela Silva.
"Foi uma vitória muito importante, não só pelo resultado e apuramento mas também porque demonstrou uma união muito grande da nossa dupla para chegar à Vitória. Estamos muito contentes por irmos disputar as meias-finais. As principais favoritas são as espanholas Etxebarria e Nerea Izagirre e a Vanessa e a Daniela mas em jogos das meias-finais e da final tudo pode
acontecer, pelo que continuamos a acreditar...
Jogar aqui, no Azibo, é fantástico. O estádio é muito bonito e está enquadrado por esta paisagem muito bela. Está calor e sente-se pouco o vento. A organização deste torneio está de parabéns".

As suas compatriotas Paquete e Daniela perderam (1-2: 21-16, 16-21 e 9-15) o último jogo, frente às espanholas Carla Alocén e Maria Palet - esta vitória isolada não alterou a sua 5.ª posição -, mas tinham já garantido o 2.º lugar e a consequente passagem às meias-finais da prova.
"Já sabíamos que este último jogo seria muito com0plicado pois estamos muito cansadas, mas igualmente satisfeitas com a qualificação. Infelizmente, vamos defrontar a Margarida Reis e Maria Tinoco, mas isso também significa que Portugal terá uma dupla na final.
A dupla espanhola Etxebarria / Izagirre é muito forte, tem muita ratice e experiência juntas, mas não são muito altas. Está tudo em aberto e continuamos a acreditar que será possível vencer o torneio", salientou Daniela Silva.

Masculinos marcados
pela competitividade

Entretanto, o público português adoptou já os heróis locais, Diogo Maia e Tomás Silva. Invicta até ao momento de enfrentar os holandeses Jasper Bouter e Jannes Van der Ham, a dupla lusitana nunca desistiu de lutar pela vitória, pese embora o facto de um dos seus elementos (Diogo) ter jogado o segundo e o terceiro sets sob uma máscara de dor...

Tomás Silva destacou o estoicismo do seu companheiro de equipa, após um jogo dramático, durante o qual pairou a forte impressão de que os portugueses não deixariam fugir a vitória.
No entanto, "o Maia começou a sentir fortes cãibras a meio do segundo set, conseguiu aguentar até ao final, mas no terceiro mostrou que, nessas condições, a nossa missão era impossível.
Mostrámos uma boa entrega e demos tudo. Mais era impossível. Tentámos adaptar a nossa recepção, porque ele não conseguia atacar, mas não conseguimos superar a infelicidade da lesão. Contudo, e apesar desta derrota, está tudo em aberto e, se o Maia estiver em condições, amanhã estaremos novamente aqui a lutar pelo título de campeões deste I torneio da WEVZA", prometeu Tomás Silva. [Ver vídeo]

Contudo, a desistência, por lesão, no jogo seguinte, fez com que os portugueses fossem ultrapassados na classificação pelos holandeses e pelos seus compatriotas José Jardim e Bernardo Leite, que se apuraram no último jogo ao vencerem os espanhóis Pablo Penedo e Sánchez Baluja.
"Sabíamos desde o início que Todas as equipas equilibradas, mas entrámos em todos os jogos com a mesma atitude, sempre a pensar na vitória e esta qualificação acaba por recompensar tudo o que fizemos. Amanhã, vamos procurar vencer e atingir a final, pois os jogos de hoje mostraram que a vitória pode sorrir a qualquer equipa.
Estamos a gostar desta competição, pois o estágio está montado num local maravilhoso e são provas como esta que nos vão ajudar a preparar para a participação em competições com um nível elevado como os Europeus e os Mundiais".


 



 

PORTUGAL ACOLHE I TORNEIO WEVZA DE SUB-21 EM VOLEIBOL DE PRAIA
20-08-2014

O I Torneio de Sub-21 em Voleibol de Praia organizado pela Federação Portuguesa de Voleibol no âmbito da WEVZA, a Associação Zonal de Voleibol do Oeste Europeu (Western European Volleyball Zonal Association), tem já reunidos alguns dos condimentos que permitirão a quem se deslocar, no próximo fim-de-semana (23 e 24 de Agosto), à Praia da Ribeira, na Albufeira do Azibo, em Macedo de Cavaleiros, assistir a excelentes espectáculos protagonizados por algumas das jovens promessas europeias do Voleibol de Praia.

À beleza natural do local onde está montado o estádio – uma paisagem que foi já considerada uma das 7 maravilhas de Portugal –, juntar-se-á uma modalidade que tem vindo a ganhar cada vez mais adeptos e que tem já em Macedo de Cavaleiros uma referência a nível nacional.

Diogo Maia / Tomás Silva e Bernardo Leite / José Jardim, em masculinos, e Margarida Reis / Maria Tinoco e Vanessa Paquete / Daniela Silva, em femininos, são as duplas lusitanas que lutarão por resultados dignos dos seus pergaminhos na modalidade. [Ver sites oficiais da competição e da WEVZA]

A equipa técnica será composta pelo Seleccionador Nacional Francisco Fidalgo e pelos treinadores Ricardo Rocha, Pedro Carvalho e Hugo Madruga.

Diogo Maia (18 anos), que participou já em várias competições internacionais (duas edições dos CPLP, o Europeu de Sub-18, na Lituânia, e o Campeonato da Europa de Sub-20, na Áustria), conseguiu, juntamente com Tomás Silva (19 anos) um dos resultados de maior relevo para o Voleibol de Praia jovem: o 9.º lugar no Campeonato do Mundo de Sub-19, realizado no Porto em 2013.

Bernardo Leite (17 anos), 25.º classificado no Mundial de Sub-19, recentemente disputado no Porto e Matosinhos, faz dupla com José Jardim (18 anos), igualmente 25.º classificado na última edição do Mundial de Sub-19, resultado aos quais juntou o título de campeão nacional de Sub-20.

Apesar da sua experiência internacional ter vindo a crescer nos últimos anos, os portugueses terão de enfrentar atletas ainda mais rotinados e, eventualmente, mais ambiciosos pese embora a sua tenra idade.

Da Holanda vem uma dupla favorita aos lugares cimeiros, pois, e apesar dos seus 17 anos, Jasper Bouter participou já este ano em três campeonatos mundiais: Sub-19 (4.º), no Porto, Sub-21 (17.º), em Lanarca, Chipre, e Sub-23 (41.º), em Myslowice, Polónia.
Bouter fará dupla com Jannes Van der Ham (19 anos).

A Espanha traz duas equipas experientes.
Oscar Prades (19 anos) e Adrian Vallés (18 anos) formam dupla desde 2012, tendo obtido resultados importantes em competições internacionais: 9.º lugar no Mundial de Sub-21 (2014) e no Europeu de Sub-20 (2013, Vilnius, Lituânia) e o 13.º lugar no Europeu de Sub-18 (2012, Brno, República Checa).

Javier Huerta (17 anos) e Hugo Rojas (18 anos) foram 9.º classificados no Mundial de Sub-19 e na CEV Youth Continental Cup Final, em Antalya, Turquia, no ano em curso, e 17.º classificados no Europeu de Sub-18 disputado, em 2013, em Molodechno, Bielorrússia.

Pretensões ibéricas em femininos

Em femininos, Margarida Reis (19 anos) e Maria Tinoco (18 anos), 17.ª classificada no Mundial de Sub-19, em 2013, dão continuidade a uma parceria que lhes permitiu obter, no ano passado, o título de campeãs nacionais de Sub-20.

Vanessa Paquete (19 anos), 17.ª classificada no mundial de Sub-19 em 2013 e medalha de ouro nos Jogos CPLP em 2010 (Moçambique), forma dupla com Daniela Silva, um ano mais nova e 33.ª classificada na mesma competição disputada no Porto.

A oposição mais forte às pretensões das portuguesas poderá vir da vizinha Espanha.
Aida Etxebarria (19 anos) e Nerea Izagirre (19 anos) formam dupla desde 2013, tendo sido 25.ªs classificadas no Europeu de Sub-20 (2013, Vilnius) e rubricado resultados interessantes em provas nacionais.

Maria Palet (19 anos), 9.ª classificada no Europeu de Sub-18 (2012, Brno) forma dupla com Carla Alocén (18 anos), 25.ª classificada no Europeu de Sub-18 (Molodechno).

A dupla holandesa composta por Loladina Zwaanswijk (16 anos) e Marly Bak (19 anos) tem conseguido resultados de relevo a nível nacional no Voleibol de Praia.

Francisco Fidalgo, Seleccionador Nacional e Coordenador dos Centros de Treino de Alto Rendimento de Voleibol de Praia (CTARVP) da FPV, está ciente da oportunidade que o torneio da WEVZA constitui para os seus jovens pupilos, bem como das dificuldades que estes irão encontrar ao defrontarem atletas em constante evolução.

"Podemos apelidar esta presença no torneio da WEZVA como uma participação de continuidade ao trabalho que tem vindo a ser desenvolvido na Europa no âmbito do Voleibol de Praia.
Portugal, à semelhança da Espanha e da Holanda, sobretudo nos masculinos, vai aproveitar a competição para preparar provas futuras, neste caso a participação do Diogo e do Tomás no Campeonato da Europa de Sub-20, em Setembro, e simultaneamente dar continuidade ao trabalho realizado com os mais jovens, aqueles que apelidamos de Subs.
Nos masculinos, os países procuram apresentar os atletas com maior potencial, pelo que o nível será, sem dúvida, interessante", considera, acrescentando:
"Creio que com a organização destes torneios da WEVZA estaremos a multiplicar as oportunidades de os atletas competirem a um nível já significativo.
Uma das ideias que esteve na génese da WEZVA foi a criação de mais oportunidades para os países poderem desenvolver o trabalho que estão a realizar com os mais jovens. Embora nesta primeira edição estejam representados apenas três países, o caminho futuro será o da participação massiva dos atletas, pois o torneio representa uma excelente oportunidade de os atletas poderem competir com adversários com idades semelhantes às suas.
Embora seja sempre prematuro adiantar objectivos em termos de resultados, é óbvio que gostaríamos de obter resultados, pois estes são sempre importantes, ainda mais porque actuámos no nosso país.
Vontade para que isso aconteça não falta aos atletas e aos seus treinadores, que têm trabalhado com entusiasmo e estão muito motivados".

"Macedo de Cavaleiros constitui um cenário fantástico, fora do comum para este género de competições internacionais, mas que acolheu já, pela quinta vez consecutiva, as finais dos Campeonatos Nacionais de Voleibol de Praia, bem como as últimas finais dos nacionais de Subs.
Será interessante mostrar, em termos internacionais, que somos capazes de enquadrar o desporto num cenário de extrema beleza natural como a Albufeira do Azibo.
O apoio da Autarquia de Macedo de Cavaleiros é algo que nos lisonjeia e, ao mesmo tempo, nos atribui responsabilidade em termos organizativos e desportivos", conclui Francisco Fidalgo.

Um historial em permanente evolução

A história recente do Voleibol de Praia nacional no que diz respeito aos escalões mais jovens tem apresentado resultados dignos de registo.

No Europeu de Sub-18, Joana Neto e Mariana Filipe Alexandre, atletas do Centro de Alto Nível de Voleibol de Praia da FPV, alcançaram a medalha de prata.
No 8.º Campeonato da Europa Universitário, realizado em Málaga, Espanha, a dupla Fabrício Barros/Januário Alvar conseguiu a medalha de bronze.
Em 2012, Joana Resende e Tânia Oliveira, vice-campeãs nacionais, e Januário Silva/Sebastião Alves classificaram-se em 9.º lugar no 6.º Campeonato do Mundo Universitário de Voleibol de Praia, disputado na cidade brasileira de Maceió.
Em 2013, Juliana Antunes Rosas e Tânia Oliveira venceram, no Porto, o Europeu Universitário e, já este ano, Rosa Couto e Marta Hurst, actuais campeãs nacionais de seniores, atingiram o 5.º lugar na classificação geral do Mundial Universitário, disputado também na Cidade Invicta.
Igualmente no ano passado e no Porto, Diogo Maia / Tomás Silva e Francisco Pombeiro / Bernardo Martins alcançaram um excelente 9.º lugar no Campeonato do Mundo de Sub-19.
Nos VII Jogos Desportivos CPLP – Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa, disputados na Foz do Lizandro, na Ericeira, Diogo Maia e António Nazário conquistaram a medalha de ouro e Inês Pereira e Valéria Rodrigues foram medalhadas com a prata.
Este ano, as duplas portuguesas Ricardo Cardoso / Tomás Sousa e Beatriz Pinheiro / Inês Castro conquistaram a medalha de prata nos torneios de Voleibol de Praia dos IX Jogos CPLP, que decorreram em Angola.

WEVZA: Os primeiros passos

A WEVZA, que foi constituída no dia 26 de Setembro de 2013, integra oito países – Portugal, Espanha, Alemanha, Bélgica, Itália, Holanda, França e Suíça – e tem como Presidente o espanhol Agustín Martín Santos, Presidente da Real Federação Espanhola de Voleibol (RFEVB), e como Vice-Presidentes o português Vicente Araújo, Presidente da FPV, e o holandês Hans Nieukerke, Presidente da Federação Holandesa de Voleibol.

O objectivo primordial desta associação zonal é fortalecer e fomentar a organização de actividades desportivas, tanto de Voleibol como de Voleibol de Praia, com especial ênfase nas categorias de formação.

A Confederação Europeia de Voleibol (CEV) conta com seis associações zonais: a WEVZA (Europa Ocidental), a BVA (Balcãs), a EEVZA (Europa de Leste), a MEVZA (Europa Central), a NEVZA (Europa do Norte) e ainda a SCD (Divisão dos Pequenos Países), da qual fazem parte Andorra, Chipre, Ilhas Faroe, Gibraltar, Gronelândia, Islândia, Irlanda, Liechtenstein, Luxemburgo, Malta, Mónaco, Irlanda do Norte, San Marino, Escócia e País de Gales.

 • Equipas Participantes | Teams
 
Calendário/Resultados | Results
  Classificação | Ranking
 
Galeria de Fotos | Photos

 • Equipas Participantes | Teams
 
Calendário/Resultados | Results
  Classificação | Ranking
 
Galeria de Fotos | Photos






 

 

 

Federação Portuguesa de Voleibol | Avenida de França, 549|4050-279 Porto-Portugal | T:(+351)228349570 | F:(+351)228325494 | E:fpvoleibol@fpvoleibol.pt